Violência conjugal física contra a mulher na vida: prevalência e impacto imediato na saúde, trabalho e família

Violência conjugal física contra a mulher na vida: prevalência e impacto imediato na saúde, trabalho e família

Título alternativo Intimate partner physical violence against women during lifetime: prevalence and immediate impact on health, work and family
Autor Miranda, Milma Pires de Melo Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Bordin, Isabel Altenfelder Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivos: Estimar a prevalencia de violencia conjugal fisica contra a mulher ao longo da vida (VCFM) em uma comunidade urbana de baixa renda e avaliar o seu impacto imediato na Saúde, trabalho e vida familiar. Metodos: O presente estudo de corte transversal foi realizado em Embu, Estado de São Paulo, como componente do projeto multicentrico internacional World Studies of Abuse in the Family Environment. Foi utilizada uma amostra probabilistica de conglomerados derivados de setores censitarios, incluindo todos os domicilios elegiveis identificados em cada um deles. Participaram 784 mulheres (16 a 49 anos) com pelo menos um filho menor de 18 anos e marido/companheiro residente (ao longo da vida). Foi avaliada a ocorrencia de algum tipo de VCFM (tapa, chute, soco, espancamento, uso/ameaca de uso de arma, outras agressoes fisicas espontaneamente referidas), de VCFM grave (mesmos itens, exceto tapa e outras agressoes referidas) e de impactos imediatos na Saúde, trabalho e vida familiar das vitimas. Resultados: A prevalencia de VCFM foi de 26,0% para algum tipo de violencia e de 18,5% para violencia grave. Entre as vitimas de algum tipo de VFCM, 38,7% julgaram necessitar cuidados medicos, 4,4% foram hospitalizadas, 18,1% ficaram incapacitadas para o trabalho (remunerado ou domestico), 51,5% separaram-se devido as agressoes e 66,7% tiveram filhos testemunhando a violencia. Para a violencia grave, essas taxas foram de 51,0; 5,5; 23,4; 59,3 e 75,9%, respectivamente. A vergonha e o medo de represalia por parte do companheiro dificultaram o acesso a assistencia medica. Conclusoes: A VCFM e frequente na comunidade estudada e produz impactos imediatos na Saúde, trabalho e vida familiar das vitimas. Esses impactos diminuem a capacidade da vitima de buscar socorro e dificultam a interrupcao do ciclo da violencia
Palavra-chave Humanos
Feminino
Violência doméstica
Violência contra a mulher
Prevalência
Impactos na saúde
Impacto psicossocial
Mulheres
Idioma Português
Data de publicação 2011
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2011. 119 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 119 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22421

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta