Avaliacao da atividade da enzima conversora de angiotensina I (EC 1.4.15.1) tissular e quantificacao de peptideos vasoativos em ratos com diferentes fenotipos de atividade de ECA plasmatica

Avaliacao da atividade da enzima conversora de angiotensina I (EC 1.4.15.1) tissular e quantificacao de peptideos vasoativos em ratos com diferentes fenotipos de atividade de ECA plasmatica

Título alternativo Evaluation of the activity of tissular angiotensin converting enzyme I (EC 1.4.15.1) and quantification of vasoactive peptides in rats with different plasmatic ACE activity phenotypes
Autor Peixoto, Herbenya Silva Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Trabalhos anteriores de nosso laboratorio identificaram dois fenotipos de atividade da enzima conversora de angiotensina I (ECA) plasmatica em ratos femeas Wistar, possibilitando a classificacao destes animais de acordo com esta atividade em ratos com atividade de ECA alta (ECAa u 45,1 ± 7,4 nm/mL/min) e com atividade de ECA baixa (ECAb u 34,5 ± 6,8 nm/mL/min). Alem disso, foi demonstrada a hereditariedade destes fenotipos e diferencas de sensibilidade a drogas anti-hipertensivas. Objetivos: O objetivo deste trabalho foi investigar uma possivel relacao entre os fenotipos de ECA plasmatica (ECAa e ECAb) com os niveis sanguineos e tissulares de peptideos (Angiotensina I u Ang I, Angiotensina II u Ang II e Bradicinina - BK) e com a atividade da ECA tissular em orgaos como coracao, rim e pulmao. A atividade da renina plasmatica nos animais ECAa e ECAb e um possivel dimorfismo sexual entre os componentes do SRA tambem foram investigados neste trabalho. Metodos: Foram utilizados ratos Wistar adultos, normotensos, machos (380 - 400 g) e femeas (260 u 300 g) com 14 meses de idade, provenientes do bioterio do INFAR da UNIFESP/EPM. A atividade da ECA plasmatica e tissular foi medida pelo metodo de fluorescencia apagada. Os peptideos foram extraidos dos tecidos (coracao e rim) e do sangue com solvente organico (acetonitrila p.a) e dosados por HPLC. Resultados: O peso corporal e o peso dos orgaos (coracao, pulmao e rim) nao foram influenciados pelos fenotipos ECAa e ECAb tanto em machos como em femeas. A atividade da ECA tissular acompanhou o mesmo fenotipo de atividade da ECA plasmatica. A concentracao plasmatica, cardiaca e renal dos peptideos (BK, Ang I e Ang II) nao foi diferente entre os grupos ECAa e ECAb. Os fenotipos de atividade da ECA plasmatica e tissular nao foram influenciados pelo genero, diferente das concentracoes de peptideos medidos na circulacao e nos tecidos. Em sangue de machos a concentracao de Ang II foi duas vezes maior e a de BK duas vezes menor, comparativamente as das femeas (Ang II: ECAa 0,150 ± 0,069 e ECAb 0,108 ± 0,09 mg/mL; BK: ECAa 3,043 ± 1,094 e ECAb 3,179 ± 1,211 mg/mL). No coracao de machos esta relacao foi mantida, com a concentracao de Ang II sendo quatro vezes maior e a de BK quatro vezes menor que a das femeas (Ang II: ECAa 0,189 ± 0,091 e ECAb 0,143 ± 0,043 mg/g; BK: ECAa 0,432 ± 0,077 e ECAb 0,402 ± 0,032 mg/g). No rim apenas a Ang II foi influenciada pelo genero, sendo duas vezes maior nos machos (Femeas Ang II: ECAa 0,246 ± 0,082 e ECAb 0,172 ± 0,055 mg/g). A concentracao de Ang I e a atividade da renina plasmatica nao foram afetadas nem pelo genero nem pelos fenotipos enzimaticos em questao. Conclusao: Os resultados expostos acima indicam que a atividade das ECAs plasmatica e tissular estariam sob controle genetico semelhante uma vez que as diferencas do fenotipo enzimatico plasmatico foram mantidas nos tecidos. Os niveis sanguineos e tissulares de BK e Ang II nao foram influenciados pelo fenotipo enzimatico indicando que as alteracoes na atividade da ECA poderiam estar sendo compensadas por vias alternativas do SRA. O genero mostrou-se capaz de influenciar a concentracao sanguinea e tissular de BK e Ang II; o mecanismo por tras desta modulacao permanece desconhecido, uma vez que a atividade das principais enzimas do SRA, a renina e a ECA, nao se mostraram influenciadas pelo genero. Entretanto, deve-se levar em consideracao a possibilidade de modulacao dos componentes das vias alternativas do SRA tambem pelo genero do animal
Palavra-chave Animais
Peptidil Dipeptidase A
Tecidos
Peptídeos
Ratos Wistar
Animais
Idioma Português
Data de publicação 2011
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2011. 101 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 101 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22412

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta