Avaliacao continua de parametros clinicos e laboratoriais como preditores de resposta ao tratamento com radiodo (131I) na Doenca de Graves

Avaliacao continua de parametros clinicos e laboratoriais como preditores de resposta ao tratamento com radiodo (131I) na Doenca de Graves

Título alternativo The continuous assessment of clinical and laboratory parameters as predictors of the response to treatment with radioiodine (131I) in GravesÆ disease
Autor Fiorin, Lia Borges Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivos: A Doenca de Graves (DG) e a principal causa de hipertiroidismo, caracterizada pela presenca de autoanticorpos estimuladores do receptor de TSH (TRAb). Seu tratamento com radiodo (131I) e eficaz e seguro, mas a resposta de cada paciente e variavel. Estudamos diversos fatores que podem interferir nessa resposta e a evolucao da autoimunidade apos esse tratamento. Metodos: Foram estudados, prospectivamente, 40 pacientes que receberam tratamento com 131I e avaliados continuamente pre e 1, 2, 3, 6, 9 e 12 meses apos a dose de 131I. Os parametros clinicos e laboratoriais estudados foram: idade, genero, dose de 131I, volume do bocio, ioduria, TSH, T4L, T3T, anticorpo antitiroglobulina (AcTg), anticorpo antitiroperoxidase (AcTPO) e TRAb. Resultados: Os pacientes foram divididos em dois grupos, de acordo com o desfecho do tratamento: Grupo I (n=35) respondedores ao 131I, pacientes que evoluiram com controle do hipertiroidismo. Grupo II (n=5) nao respondedores, pacientes que permaneceram em hipertiroidismo apos o tratamento. Nao houve diferenca significante entre os 2 grupos em relacao a idade, dose de 131I, AcTg inicial, TRAb inicial e ioduria. No entanto, genero masculino foi mais prevalente no Grupo II; alem disso, volume tiroidiano e as concentracoes de T4L, T3T iniciais foram significantemente maiores no Grupo II e os niveis iniciais de AcTPO foram mais elevados no Grupo I. Os niveis de AcTg e AcTPO se elevaram significantemente apos o 131I nos dois grupos. Nos pacientes do grupo I houve aumento significante do TRAb a partir do terceiro mes (p=0,01). As concentracoes de TRAb no sexto mes foram significantemente mais elevadas nos pacientes do Grupo II: 271,9 (55-796 UI/L) que nos pacientes do Grupo I: 42,5 (5-875,4UI/L) (p=0,05). Conclusao: Nosso estudo mostrou que pacientes com bocios volumosos, do sexo masculino e com hormonios tiroidianos mais elevados tem menor resposta ao 131I. Alem disso, o nivel de TRAb e um marcador de persistencia do hipertiroidismo ja que aos seis meses, os pacientes que nao responderam ao 131I apresentavam seus niveis mais elevados . Por outro lado, nivel mais elevado de AcTPO inicial mostrou ser preditor de resposta ao 131I possivelmente indicando maior atividade inflamatoria com consequente reducao do tecido tiroidiano viavel
Palavra-chave Humanos
Doença de Graves
Hipertireoidismo
Bócio
Hormônios Tireóideos
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 70 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 70 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22363

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta