A disfuncao da amonia na insufiCiência cardiaca se acentua com o aumento da intensidade do exercicio resistido mesmo em uso de terapia farmacologica adequada

A disfuncao da amonia na insufiCiência cardiaca se acentua com o aumento da intensidade do exercicio resistido mesmo em uso de terapia farmacologica adequada

Título alternativo The dysfunction of ammonia in heart failure increases with increasing the intensity of resistance exercise even with the use of appropriate drug therapy
Autor Medeiros, Wladimir Musetti Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Hiperamonemia em repouso e uma alteracao presente na insufiCiência cardiaca (IC) e correlaciona-se com a severidade da doenca. Ja a baixa formacao de amonia durante o exercicio fisico reflete uma inefiCiência do metabolismo das purinas. A hiperpotassemia em resposta ao exercicio fisico e frequente na IC e pode contribuir com uma inefiCiência contratil nas fibras tipo II, levando a fadiga precoce.Testou-se a hipotese de que no exercicio resistido de alta intensidade e baixo volume, o disturbio do metabolismo da amonia seria mais intenso, devido a hiperpotassemia presente na insufiCiência cardiaca. Metodos: Exercicios resistidos (extensao de joelho) de baixa intensidade e alto volume (40% 1RM, 4 sets x 20 rep) e alta intensidade e baixo volume (80% 1RM, 4 sets x 8 rep) foram aplicados com intervalo de 7 dias entre eles, em 18 pacientes (classe funcional II-III NYHA; FE = 33,5±4%) comparados a 22 saudaveis pareados pela idade. Previamente avaliou-se perfil lipidico, ecocardiograma, teste ergometrico e teste de 1RM. Os niveis plasmaticos de amonia, potassio, lactato foram avaliados antes e imediatamente apos o termino dos exercicios. Resultados: Diferencas significativas no perfil lipidico, ecocardiografia, teste ergometrico e teste de 1RM. Deltas (control x HF) no ER 40%: lactato (mg/dl) 26,3 ± 10 vs. 37,7 ± 7 p < 0,001; amonia (ug/dl) 92,5 ± 18 vs. 48,9 ± 9 p < 000,1 potassio (mEq/L) 0,93 ± 0,7 vs. 0,88 ± 0,4 p = 0,770. Deltas (control x HF) no ER 80%: lactato (mg/dl) 45,0 ± 12 vs. 54,1 ± 11 p < 0,05; amonia (ug/dl) 133,5 ± 22 vs. 32,2 ± 7 p < 0,001; potassio (mEq/L) 1,6 ± 0,4 vs. 2,0 ± 0,8 p < 0,05. Correlacao negativa entre os deltas de amonia e potassio (r = - 0,74; p < 0,001) no grupo HF. Conclusao: Na insufiCiência cardiaca ocorre uma inefiCiência do metabolismo da amonia que se acentua com o aumento da intensidade do exercicio e nao com o aumento do volume total. Os achados sugerem que a hiperpotassemia pode contribuir de forma importante na disfuncao do metabolismo da amonia.
Palavra-chave Insuficiência Cardíaca
Treinamento de Resistência
Amônia
Potássio
Contração Muscular
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 107 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 107 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22336

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta