Morfina como primeiro medicamento no tratamento da dor do paciente com cancer

Morfina como primeiro medicamento no tratamento da dor do paciente com cancer

Título alternativo Morphine as the first drug for the treatment of cancer pain
Autor Nunes, Beatriz do Ceu Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Os farmacos usados atraves da escada segundo recomendacao da OMS nao promovem alivio da dor de todos os pacientes com dor do cancer. O objetivo deste estudo foi avaliar o uso de morfina como primeiro medicamento para o tratamento da dor moderada pela escala visual analogica, em pacientes com doenca avancada e/ou metastases, como alternativa a escada analgesica preconizada pela OMS. Metodos: Foram estudados pacientes com cancer, dor moderada, sem uso previo de opioide com idade maior ou igual 18 anos, distribuidos aleatoriamente em dois grupos. Os pacientes do G1 receberam medicamentos segundo a escada analgesica da OMS, iniciando com AINE, paracetamol ou dipirona no primeiro degrau, opioide fraco no segundo e opioide potente no terceiro; os do G2 receberam morfina como primeiro medicamento analgesico. Foram avaliadas a intensidade da dor, a dose de morfina complementar, a qualidade de vida, a capacidade fisica, a satisfacao dos pacientes, e os efeitos adversos, a cada duas semanas durante 3 meses. Resultados: Foram avaliados 60 pacientes, sendo 30 em cada grupo. Os grupos foram semelhantes quanto aos dados demograficos (idade, sexo, peso e estatura). A duracao e o tipo da dor, a localizacao do tumor e da dor, e os analgesicos usados previamente foram semelhantes. Nao houve diferenca quanto a intensidade da dor, qualidade de vida, capacidade fisica, satisfacao com o tratamento, necessidade de complementacao e dose de morfina usada entre os grupos nos momentos avaliados. No G2 houve maior incidencia de nausea, sonolencia e constipacao na segunda consulta; nos outros momentos avaliados a incidencia de efeitos adversos foi semelhante. Conclusoes: O uso de morfina como primeiro medicamento para tratamento da dor moderada para paciente com cancer, nao promoveu melhor efeito analgesico que seguindo a escada preconizada pela OMS, e houve maior incidencia de efeitos adversos na segunda consulta
Palavra-chave Humanos
Morfina
Dor
Neoplasias
Medição da Dor
Analgesia
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 80 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 80 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22334

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta