O impacto das vinculações parentais saudáveis como fator de proteção ao desenvolvimento do transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) na vida adulta.

O impacto das vinculações parentais saudáveis como fator de proteção ao desenvolvimento do transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) na vida adulta.

Título alternativo The impact of parental bonding as protective factor for developing posttraumatic stress disorder (PTSD) in adulthood
Autor Lima, Adriano Resende Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Mari, Jair de Jesus Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: De forma cada vez mais solida, tem havido progressivo reconhecimento sobre a relevancia dos vinculos parentais, enquanto fator de risco ou de resiliencia, sobre o neurodesenvolvimento. Na exposicao a situacoes traumaticas, algumas pessoas desenvolvem estresse pos-traumatico (TEPT) e outras nao manifestam o transtorno. Objetivos: O objetivo principal deste estudo e investigar o possivel impacto das vinculacoes parentais saudaveis enquanto fator de protecao ao desenvolvimento de TEPT na vida adulta. Metodos: Estudo de caso-controle, considerando-se individuos que foram igualmente expostos a situacoes traumaticas urbanas e que foram classificados, atraves da versao brasileira da oStructured Clinical Interviewo baseada no eixo I do DSM-IV (SCID-I), como tendo ou nao o diagnostico de TEPT. Em ambos os grupos, para se avaliar a percepcao dos vinculos parentais, foi aplicado o oParental Bonding Instrumento (PBI). PBI e um instrumento autoauplicavel que mede duas dimensoes da vinculacao parental: afeto (disponibilidade, cuidado, sensibilidade versus frieza e rejeicao) e controle (protecao, intrusao versus encorajamento da autonomia). O PBI considerado optimal parenting e quando a percepcao dos vinculos parentais e tida como tendo alto afeto e baixo controle. Ambos os grupos, optimal parenting e non-optimal parenting, foram comparados com relacao a presenca ou ausencia do diagnostico de TEPT. Para se comparar possiveis diferencas entre os grupos, parametros biologicos foram coletados. Resposta neuroendocrina u atraves do teste de supressao do eixo hipotalamo-hipofisario-adrenal (HHA) pela prednisolona e possiveis alteracoes neuro-anatomicas, pela volumetria do corpo caloso, foram avaliadas. Resultados: Percepcoes de maes tidas como nao controladoras (OR 4.84; 95%CI [2.26 - 10.3]; p=0.01), e pais tidos como afetuosos (OR 2,46; 95%CI [1.18 - 5.12]; p=0.02), foram fatores de protecao ao desenvolvimento de TEPT. Quando pais e maes foram agrupados, percepcoes de ambos os pais tidos como nao controladores foram fatores de protecao ao desenvolvimento do TEPT (OR 2.70; 95%CI [1.10 - 6.63]; p=0.04). Individuos com TEPT apresentaram area total de corpo caloso menor, mas esta diferenca nao foi considerada estatisticamente significante (e-value = 0.34). O teste de supressao pela prednisolona revelou uma resposta embotada do eixo HHA, no grupo de individuos com TEPT, com concentracoes baixas de cortisol salivar (p=0.03), ao acordar e trinta minutos apos. Conclusoes: Percepcoes dos individuos como tendo experiencias de vinculacoes parentais saudaveis, caracterizadas por enriquecimento afetivo (afeto alto) e incentivo a autonomia (baixo controle), mostraram-se positivamente associadas com menor risco de desenvolvimento de TEPT na vida adulta
Palavra-chave Humanos
Relações familiares
Transtornos de estresse pós-traumáticos
Saúde mental
Criança
Adulto
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 90 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 90 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22330

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta