Estudo da Insularina, uma disintegrina recombinante a partir do veneno de Bothrops insularis, na sepse grave em ratos

Estudo da Insularina, uma disintegrina recombinante a partir do veneno de Bothrops insularis, na sepse grave em ratos

Título alternativo Titulo em ingles: Study of Insularina, a recombinant disintegrin from the Bothrops insularis venom, in severe sepsis in rats
Autor Sotelo, Fabio Jose Bonafe Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A disfuncao microcirculatoria na sepse grave tem sido associada a hipoperfusao tecidual, hipoxia citopatica, falencia de orgaos e morte. A agregacao plaquetaria tem sido associada a amplificacao da disfuncao microcirculatoria. A Insularina, disintegrina recombinante do veneno de Bothrops insularis, antiagregante plaquetaria e inibidora da adesao de celulas endoteliais pareceu entao ter um potencial terapeutico na sepse. Objetivo: Avaliar o efeito terapeutico da Insularina na sepse grave. Metodos: Ratos Wistar-EPM (n=32), peso entre 350-500g foram distribuidos em grupos sepse (inoculacao IV - 1mL/100 g - de E. coli 109 UFC/mL) e sham (injecao - 1mL/100g - de soro fisiologico) e foram administrados ou nao com a Insularina (360 μg/Kg). Os animais foram monitorados quanto a mortalidade por 30 dias e a dinamica microcirculatoria dos orgaos intestino, rim e figado nos periodos: basal (T0) e nas fases agudas da sepse (30 e 120 minutos) por meio de Laser Doppler e microscopia de luz Sidestream DarkField Imaging (SDF). A acao da Insularina sobre a adesao celular HUVEC-neutrofilo-plaquetas tambem foi avaliada in vitro. Resultados: A Insularina na sepse grave promoveu queda significante na mortalidade (53%). A analise qualitativa da microcirculacao mostrou alteracoes focais das arquiteturas vasculo-teciduais, que aumentaram com o tempo da sepse nos orgaos figado e rim, e esta progressao foi minimizada pela Insularina. A analise da perfusao tecidual pelo Laser Doppler mostrou queda com a progressao da sepse em todos os orgaos, minimizada com a Insularina principalmente em figado. In vitro a Insularina inibiu a adesao plaqueta-plaqueta, plaqueta-endotelio e plaquetaneutrofilo. Conclusoes: A Insularina mostrou ter potencial terapeutico na sepse grave por minimizar a disfuncao microcirculatoria e reduzir a mortalidade. A inibicao da agregacao plaquetaria e adesao plaqueta-endotelio e plaqueta-neutrofilo via Insularina parece ter uma relacao com a minimizacao da disfuncao microcirculatoria e da mortalidade na sepse grave, sugerindo a importancia dos receptores αIIbβ3 e αvβ3 nos mecanismos fisiopatologicos da sepse
Palavra-chave Animais
Sepse
Desintegrinas
Microcirculação
Agregação Plaquetária
Ratos Wistar
Animais
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 101 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 101 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22321

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta