Estudo da atividade antimicrobiana da crotamina nativa e sintetica, do seu analogo recombinante e fragmentos peptidicos

Estudo da atividade antimicrobiana da crotamina nativa e sintetica, do seu analogo recombinante e fragmentos peptidicos

Título alternativo Study of antimicrobial activity of native and synthetic crotamine, recombinant analogue and its synthetic peptides fragments
Autor Yamane, Erica Sayuri Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A crotamina e uma miotoxina presente no veneno da cascavel sulamericana Crotalus durissus terrificus capaz de promover a imobilizacao das patas traseiras de roedores. Esta toxina possui baixo peso molecular e alto conteudo de aminoacidos basicos como a lisina e a arginina, alem de seis residuos de cisteina formando tres pontes dissulfeto. A crotamina apresenta o mesmo padrao de distribuicao de pontes de dissulfeto observado nas β- defensinas, que sao peptideos antimicrobianos encontrados na epiderme de mamiferos e que apresentam conhecida atividade antimicrobiana. Este fato, e apesar da diferenca na estrutura/sequencia primaria da crotamina e da β- defensina, nos levou a estudar a possivel atividade antimicrobiana da crotamina. Considerando que a crotamina e obtida unicamente a partir da sua purificacao do veneno da cascavel sendo, portanto, totalmente dependente da extracao do veneno de serpentes mantidas em cativeiro ou capturadas na natureza, este trabalho teve como objetivo estudar fontes alternativas de obtencao de crotamina e caracterizar suas atividades funcionais, incluindo a atividade antimicrobiana e ensaio in vivo de imobilizacao das patas traseiras. Os ensaios de atividade antimicrobiana foram realizados com a crotamina natural, recombinante, sintetica, e seus fragmentos peptidicos (P1 e P2) contra bacterias Gram-postiva e Gram-negativa e, fungos. Foi observado uma atividade mais pronunciada contra varias especies de fungo, especialmente do genero Candida.No ensaio de imobilizacao das patas traseiras foram testadas a crotamina natural, a sintetica e o fragmento peptidico P1, na dose de 2,5 mg/kg em camundongos Swiss adultos. Nesta dose foi possivel observar a paralisia das patas destes animais somente apos a injecao da crotamina natural, como ja descrito na literatura e, da crotamina sintetica. O fragmento peptidico nao causou nenhuma modificacao no comportamento dos animais
Palavra-chave Crotalus
Dicroísmo Circular
Bactérias
Fungos
Idioma Português
Data de publicação 2010
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2010. 157 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 157 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22320

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta