Perfil de resistencia a antimicrobianos e fatores de virulencia em escherichia coli isoladas de infeccoes de corrente sanguinea do Projeto SCOPE Brasil

Perfil de resistencia a antimicrobianos e fatores de virulencia em escherichia coli isoladas de infeccoes de corrente sanguinea do Projeto SCOPE Brasil

Título alternativo Mechanisms of antimicrobial resistance and virulence factors in escherichia coli isolated from bloodstream infections in Brazilian Project SCOPE
Autor Rockstroh, Anna Carolina Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Antecedentes - A Escherichia coli e um dos principais agentes causadores de infeccao da corrente sanguinea em todo o mundo. Estudos tem demonstrado que a E. coli e o agente mais prevalente em infeccao da corrente sanguinea entre as bacterias Gram-negativas. Os mecanismos de resistencia e fatores de virulencia estao intimamente relacionados com aumento da morbidade e da mortalidade. A relacao entre ambos tem sido estudada, mas nao completamente elucidada. Metodos - Foram avaliados 90 isolados de E. coli a partir de um estudo multicentrico: SCOPE Brasil, distribuidos em cinco regioes brasileiras (Norte, Nordeste, Sul, Sudeste e Centro-Oeste) de janeiro de 2008 a dezembro de 2009. Todos os isolados foram identificados pelo sistema automatizados BD - Phoenix ®. O teste de sensibilidade antimicrobiana tambem foi realizado pelo mesmo sistema automatizado. Os pontos de cortes clinicos foram interpretados de acordo com as recomendacoes do CLSI (M100-S21). Para a deteccao dos genes de resistencia foram realizados Reacao em Cadeia da Polimerase (PCR)para blaCTXM, blaSHV e blaTEM. Para os fatores de virulencia foi realizada a tecnica colony blot atraves de 16 genes importantes para a classificacao de Escherichia coli extra-intestinal e Escherichia coli intestinal de acordo com JOHNSON e cols. (2003). Resultados - Observaram-se altos niveis de resistencia a ampicilina (70%), a ciprofloxacina (37%) e a ceftriaxona (25%). A partir dos 90 isolados, 14 (15,5%) foram positivos fenotipicamente ESβL. O teste molecular mostrou que, em 4 isolados foram detectados, concomitantemente, os genes blaCTMX-M2 e blaTEMlike. Um isolado revelou a presenca do gene blaSHV-like e outro revelou a presenca blaTEM-like. Dois isolados nao apresentaram nenhum dos genes testados, indicando que outros tipos de beta-lactamases podem estar envolvidos. A analise revelou que 33 dos isolados (37%) foram classificados como ExPEC. Em mais de 50% dos isolados foi detectada a presenca dos genes fimA, traT e ompT. Para a relacao entre a resistencia aos antibioticos e presenca de genes de virulencia descobrimos uma relacao estatisticamente significativa entre a resistencia a multiplas drogas e a presenca dos genes ompT e kpsMTII (p = 0,03) e entre a presenca de sfaDE e a sensibilidade as fluorquinolonas (p = 0,04). Tambem encontramos relacao quando comparamos isolados classificados como ExPEC com bacterias fenotipicamente classificadas como EsβL negativos. Conclusoes: Observamos altas taxas de resistencia para fluorquinolonas e ceftriaxona com baixa incidencia de fenotipo ESβL. Existe diferenca na frequencias de virulencia e multirresistencia em isolados de E. coli nosocomiais de infeccao da corrente sanguinea. Estas diferencas podem tambem ser notadas em isolados ESβL negativa e na presenca de genes de virulencia, indicando uma possivel implicacao da aptidao bacteriana em E. coli
Palavra-chave Escherichia coli
Infecção
Sangue
Resistência Microbiana a Medicamentos
Fatores de Virulência
Biologia Molecular
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 112 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 112 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22318

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta