Efeitos do tratamento com corticosterona sobre medidas de ansiedade, neurogenêse hipocampal e imunorreatividade a proteina FOS

Efeitos do tratamento com corticosterona sobre medidas de ansiedade, neurogenêse hipocampal e imunorreatividade a proteina FOS

Título alternativo Effects of treatment with corticosterone on anxiety measures, hippocampal neurogenesis and FOS protein immunoreactivity
Autor Diniz, Leila Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Viana, Milena Barros Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Evidências previas indicam que altos níveis de corticosterona (CORT) aumentam respostas de defesa a estímulos aversivos, como a esquiva e o congelamento. Em contraste, a CORT administrada cronicamente não altera comportamentos defensivos apresentados em resposta a exposicao ao predador, como a fuga. Dado que diferentes respostas comportamentais de defesa tem sido associadas com transtornos de ansiedade especificos, a observacao de que a CORT cronica altera somente alguns comportamentos defensivos pode ser de relevancia para o melhor entendimento da fisiopatologia da ansiedade. No presente trabalho foram investigados os efeitos da administração cronica de CORT em ratos Wistar machos (300 g), atraves do implante cirurgico de pellets de CORT (200 mg, liberacao ao longo de 21 dias), sobre as respostas de esquiva e fuga do labirinto em T elevado (LTE). Estes dois comportamentos defensivos tem sido associados com o transtorno de ansiedade generalizada (TAG) e o transtorno do panico (TP), respectivamente. Uma vez que o antidepressivo tricíclico imipramina e utilizado com sucesso para o tratamento dos dois quadros clínicos, os efeitos do tratamento cronico com imipramina (15 mg, ip) tambem foram investigados. Para a melhor compreensao dos mecanismos neurobiologicos relacionados aos efeitos comportamentais acarretados pelas drogas analisamos a imunorreatividade a proteína fos (fos-ir), com o objetivo de mapear as áreas encefálicas ativadas pela administracao cronica de CORT e imipramina. Tambem foi avaliado o numero de celulas positivas para o marcador de neurogenese doublecortina (DCX) no hipocampo e mensurada a concentracao plasmatica de CORT no 21° dia de tratamento. Os resultados sugerem que a administracao cronica de CORT facilita o desempenho da tarefa de esquiva do LTE, um efeito ansiogenico, sem alterar as respostas de fuga. A imipramina reverteu de forma significativa os efeitos ansiogenicos da CORT, embora, por si so, a droga nao tenha apresentado efeitos ansioliticos. Alem disso, a droga diminuiu a atividade locomotora dos animais medida em um campo aberto. A CORT aumentou a fos-ir no septo ventrolateral, na amigdala medial e no nucleo paraventricular do hipotalamo, e diminuiu a fos-ir na coluna lateral da substancia cinzenta periaquedutal. A imipramina por outro lado, aumentou a fos-ir na amigdala medial e diminuiu no hipotalamo anterior. O tratamento com CORT tambem diminuiu o numero de celulas positivas para DCX no hipocampo ventral e dorsal e manteve os niveis plasmaticos deste glicocorticoide elevado durante todo o tratamento. A imipramina reverteu os efeitos da CORT. Estes dados sugerem que os efeitos comportamentais da CORT e da imipramina sao mediados por circuitos neurais especificos, e por vezes sobrepostos, o que pode ser relevante para um melhor entendimento da fisiopatologia do TAG e do TP.
Palavra-chave Animais
Transtornos de Ansiedade
Corticosterona
Imipramina
Ratos Wistar
Animals
Anxiety disorders
Corticosterone
Imipramine
Rats, Wistar
Animais
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 92 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 92 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22278

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta