Tratamento das estenoses arteriais aterotromboticas intracranianas por angioplastia transluminal percutanea com balao e/ou implante de stent

Tratamento das estenoses arteriais aterotromboticas intracranianas por angioplastia transluminal percutanea com balao e/ou implante de stent

Título alternativo Intracranial aterothrombotic arterial stenosis treated with angioplasty and/or stent
Autor Andrade, Guilherme Cabral Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivos: As estenoses arteriais intracranianas sintomaticas sao lesoes pouco comuns e de prognostico esfavoravel. Os objetivos foram o de determinar qual estenose aterotrombotica intracraniana que possui indicacao do tratamento endovascular, tendo em vista: a eficacia, seguranca e indice de complicacoes do tratamento atraves da angioplastia transluminal percutanea com uso do balao de angioplastia e/ou implante do stent, assim como, determinar o risco de re-estenose no seguimento em longo prazo. Material e Metodos: Este estudo foi realizado entre os anos de 1996 e 2006, inclui 37 pacientes portadores de 40 estenoses intracranianas localizadas na arteria carotida interna (11), arteria cerebral media (8), arteria basilar (16) e arteria vertebral (5). Estas estenoses aterotromboticas eram todas sintomaticas mesmo sob tratamento anticoagulante e superiores a 60% do diametro normal da arteria (media de 83,5%), avaliadas atraves da angiografia por subtracao digital pelo metodo WASID. No tratamento endovascular foi utilizada a tecnica de angioplastia transluminal percutanea com um balao subdimensionado (cujo diametro apos sua insuflacao maxima deve ser menor que o diametro do segmento normal arterial), dilatacao lenta e progressiva, assim como o implante de stent intracraniano, montado em balao, tambem subdimensionado. Resultados: O tratamento foi sempre possivel com uma reducao significativa do grau de estenose (residual inferior a 50%), exceto em dois casos. O grau de estenose medio apos o tratamento foi de 36,8%. Houve tres complicacoes, sendo dois hematomas de reperfusao e uma trombose apos uma disseccao arterial. No acompanhamento minimo de seis meses, encontrou-se um unico caso de reestenose superior a 50% apos a angioplastia sem implante de stent. Durante o seguimento nenhum paciente apresentou acidente vascular cerebral isquemico transitorio ou definitivo. Conclusao: O tratamento das estenoses arteriais intracranianas e eficiente, com baixo indice de complicacao nesta serie. Nesta experiencia a taxa de reestenose e baixa
Palavra-chave Humanos
Constrição Patológica
Angioplastia
Stents
Acidente Vascular Cerebral
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2008
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2008. 105 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 105 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22268

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta