Aumento de sobrevida, proliferacao e radiorresistencia de celulas B-1 apos contato com celulas neoplasicas in vitro

Aumento de sobrevida, proliferacao e radiorresistencia de celulas B-1 apos contato com celulas neoplasicas in vitro

Título alternativo B16 melanoma cells increase B-1 cell survival, IL-10 production and radioresistance in vitro
Autor Laurindo, Maria Fernanda Lucatelli Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Celulas B-1 diferem de celulas B-2 quanto a caracteristicas fenotipicas, funcionais e moleculares. Alem das caracteristicas de linfocito B, celulas B-1 expressam marcadores para macrofago (CD11b) e linfocito T (CD5). O marcador CD5 e utilizado na distincao de dois subtipos de celulas B-1: celulas B-1a (CD5+) e B-1b (CD5-). Estudos em nosso laboratorio demonstraram que o potencial metastatico de celulas tumorais B16F10 (linhagem de melanoma murino) e aumentado quando estas celulas sao cultivadas na presenca de celulas B-1. No entanto, nenhum trabalho investigou possiveis modificacoes que poderiam ocorrer em celulas B-1 apos este contato. No presente trabalho, alteracoes na expressao de marcadores de superficie, viabilidade, proliferacao e producao de citocinas foram investigadas apos cultivo de celulas B-1 na presenca ou ausencia de celulas B16F10. Apos interacao fisica entre as duas populacoes celulares, nao foram observadas alteracoes na expressao de marcadores de superficie caracteristicos de celulas B-1. No entanto, pudemos observar reducao na quantidade de celulas mortas e aumento na taxa de proliferacao de celulas B-1 em cultura apos cultivo destes linfocitos com celulas tumorais. Ainda, somente a presenca de fatores soluveis secretados pelas celulas B16F10 mostrou-se suficiente para alterar a viabilidade dos linfocitos B-1 in vitro. Resultados semelhantes foram obtidos apos cocultivo de celulas B-1 com celulas 4T1 ( linhagem de carcinoma mamario). O aumento de sobrevida foi relacionado a um significativo aumento na producao de IL- 10 e expressao e fosforilacao da proteina STAT3, ambas conhecidas pelo seu potencial em regular a auto-renovacao de celulas B-1. Apos contato com celulas B16F10, celulas B-1 apresentaram-se oprotegidaso da morte induzida por radiacao. Interessantemente, foi observado que fatores soluveis secretados por estas celulas foram suficientes para garantir a resistencia a morte celular induzida pela radiacao ionizante. Por fim, avaliando-se o potencial de diferenciacao de linfocitos B-1 em fagocitos mononucleares neste ambiente, pudemos observar a presenca de celulas similares a macrofagos junto as celulas B16F10 apos cultivo com celulas B-1 purificadas. Com isso, fica claramente demonstrado que, alem das alteracoes previamente descritas nas celulas tumorais, celulas B-1 sao modificadas apos contato com celulas tumorais e indicam a necessidade de estudos que investiguem a origem de macrofagos infiltrantes no tumor em modelos in vivo. Sugerimos que a manutencao de celulas B-1 viaveis no ambiente do tumor seja obeneficoo as celulas tumorais que, mantidas em contato com estes linfocitos, aumentam seu potencial metastatico
Assunto Interleucina-10
Linfócitos B
Proteção Radiológica
Progressão da Doença
Neoplasias
Idioma Português
Data 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 155 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 155 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22237

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)