Avaliação de critérios clínicos e polissonográficos da Síndrome da Resistência da Via Aérea Superior em uma amostra populacional

Avaliação de critérios clínicos e polissonográficos da Síndrome da Resistência da Via Aérea Superior em uma amostra populacional

Título alternativo Evaluation of clinical and polysomnographic criteria of the upper airway resistance syndrome in a populational sample
Autor Palombini, Luciana de Oliveira Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Bittencourt, Lia Rita Azeredo Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Psicobiologia – São Paulo
Resumo A Sindrome da Resistencia da Via Aerea Superior (SRVAS) foi inicialmente descrita em individuos sem caracteristicas polissonograficas da Sindrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS), porem estes mesmos individuos apresentavam despertares associados ao aumento do esforco respiratorio durante o sono e consequente queixa de sonolencia excessiva diurna. Hoje os criterios diagnosticos da SRVAS ainda nao estao bem definidos bem como a prevalencia deste disturbio respiratorio do sono e desconhecida na populacao geral. Tambem nao existe a definicao de um criterio relacionado a limitacao ao fluxo aereo (LFA) para o diagnostico da SRVAS. Objetivos: Avaliar a prevalencia da SRVAS na populacao adulta de São Paulo, alem de comparar as caracteristicas antropometricas, clinicas, polissonograficas, metabolicas, inflamatorias e de via aerea superior desta sindrome em individuos normais e com SAOS; avaliar a distribuicao da LFA na populacao geral e em individuos normais; avaliar a associacao dos periodos de LFA com despertares. Casuistica e metodos: Este estudo foi feito em duas fases. Inicialmente foi feita a avaliacao de prevalencia na populacao geral. A amostra foi derivada do estudo EPISONO, que avaliou 1.042 individuos da populacao adulta de São Paulo (20-80 anos de idade). A partir da amostra inicial, os individuos foram classificados como SRVAS de acordo com os seguintes criterios: presenca de pelo menos uma queixa clinica, indice de apneia e hipopneia (IAH) <5 eventos/h, saturacao minima da oxi-hemoglobina (SpO2 minima) &#8805;92% e presenca de LFA. Em uma segunda fase foi feita a reavaliacao dos exames de polissonografia para quantificar a presenca de LFA em todos os individuos com IAH <15 eventos/h. A LFA foi manualmente avaliada de acordo com os seguintes criterios: presenca de pelo menos quatro respiracoes com achatamento da curva de fluxo inspiratorio e calculo da porcentagem do tempo total de sono (TTS) com LFA. Um subgrupo de individuos sem queixas de sonolencia excessiva ou cansaco, sem SAOS e sem doenca pulmonar primaria indicada por questionario validado, foi avaliado para definicao de corte de LFA em individuos onormaiso. Tambem foi avaliada a associacao de eventos de LFA com despertares nos 330 individuos com IAH <5 eventos/h e saturacao minima &#8805;92%. Resultados: a prevalencia da SRVAS foi de 18,8%, sendo maior em mulheres e em individuos jovens em comparacao a individuos com SAOS. A prevalencia da SRVAS diminuiu com a idade, ao passo que a prevalencia da SAOS aumenta com o aumento da idade de forma oposta. Os individuos com SRVAS apresentaram mais frequentemente queixas de sono nao reparador e de sintomas vagais (extremidades frias e hipotensao postural) em relacao ao grupo normal e ao grupo com SAOS. As alteracoes metabolicas, inflamatorias e de via aerea superior foram mais frequentes nos portadores de SAOS. Os individuos do grupo normal e grupo da SRVAS apresentaram valores da analises sanguineas dentro da normalidade e sem diferenca significativa, porem observa-se um aumento nos valores de algumas destas variaveis no grupo da SRVAS em comparacao ao grupo normal. Nos 606 individuos com IAH <15 a maioria apresentou ate 20% do TTS com LFA e houve um predominio naqueles com indice de massa corporea (IMC) elevado. A avaliacao quantitativa da LFA em um grupo de 140 individuos onormaiso para melhor definicao da LFA demonstrou que individuos sem disturbios respiratorios apresentam ate 31% do tempo total de sono com LFA. Em 286 individuos avaliados para analise de despertares associados aos periodos de LFA, apenas cinco individuos apresentaram mais do que cinco episodios de LFA com despertar por hora de sono. Conclusoes: a prevalencia da SRVAS foi alta na populacao estudada, sendo maior em mulheres e nos mais jovens. Os individuos com essa sindrome apresentaram mais queixas de sono nao reparador e sintomas vagais, porem com menor frequencia de alteracoes cardiometabolicas do que os portadores de SAOS. Individuos normais apresentaram LFA durante o sono e um baixo indice de eventos associados com despertares por hora de sono.
Palavra-chave Humanos
Apneia do Sono Tipo Obstrutiva
Sono
Trabalho Respiratório
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em PALOMBINI, Luciana de Oliveira. Avaliação de critérios clínicos e polissonográficos da Síndrome da Resistência da Via Aérea Superior em uma amostra populacional. 2012. 139 f. Tese (Doutorado) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2012.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 139 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22231

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Tese-13442.pdf
Tamanho: 4.078MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta