Persistência de anticorpos contra o vírus da hepatite A (HAV) em crianças e adolescentes infectados pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) e sua associação como perfil imunológico sete anos após imunização primária

Persistência de anticorpos contra o vírus da hepatite A (HAV) em crianças e adolescentes infectados pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) e sua associação como perfil imunológico sete anos após imunização primária

Título alternativo Persistence of hepatitis A virus (HAV) antibodies in children and adolescents infected by human immunodeficiency virus (HIV) and its association with the immunological profile seven years after primary immunization
Autor Gouvêa, Aida de Fátima Thomé Barbosa Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Succi, Regina Célia de Menezes Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Avaliar a persistencia dos anticorpos contra o virus da hepatite A (VHA) sete anos apos a imunizacao primaria em pacientes filhos de maes soropositivas para o HIV e verificar sua possivel relacao com a evolucao da doenca e resposta a revacinacao. Desenvolvimento e Metodos: No periodo de dezembro de 2009 a janeiro de 2011 foram incluidos 39 adolescentes: 29 infectados pelo HIV (mediana de idade: 12,8 anos) e 10 expostos e nao infectados pelo HIV (mediana de idade: 13,4 anos) acompanhados no Ambulatorio de AIDS Pediatrica da UNIFESP. Todos haviam recebido duas doses da vacina contra o VHA (Havrix(R)) em 2002. A quantificacao de anticorpos contra o VHA foi feita atraves de eletroquimioluminescencia. Resultados: A epoca da vacinacao, a mediana da idade era 5,3 anos. Nenhuma crianca infectada pelo HIV apresentava sinais clinicos ou imunossupressao graves. Todas as criancas dos dois grupos apresentaram anticorpos para Hepatite A (>20mIU/mL) apos imunizacao primaria. Sete anos apos, a mediana de anticorpos foi 253,5 mIU/mL no grupo de expostos e nao infectado e 113,0 mIU/mL no grupo de infectados pelo HIV (Mann-Whitney, p=0,0853). Todos os adolescentes expostos e nao infectados e 23/29 (79,3%) dos adolescentes infectados pelo HIV mantiveram anticorpos contra o VHA. Entre os pacientes infectados pelo HIV, 33,3% do grupo que, perdeu a soropositividade para o VHA (2/6) e 8,7% do grupo que manteve a soropositividade para o VHA (2/23) progrediram para categoria clinica C ou categoria imunologica 3 (Teste exato de Fisher, p=0,180). Os adolescentes infectados pelo HIV com anticorpos para VHA abaixo de 20 mUI/L tambem diferiram daqueles com anticorpos acima de 20 mUI/L em relacao a: maior numero de episodios de herpes zoster, 66,7% versus 4,3% (Qui-quadrado, p<0,0001); mediana do nadir de linfocitos T CD4+, 290 versus 494 celulas/mm3 (Mann-Whitney, p=0,036); mediana de linfocitos T CD4+ sete anos apos imunizacao primaria para VHA: 200,4 versus 634,1 celulas/mm3 (Mann-Whitney, p= 0,004). O grupo que perdeu a soropositividade para o VHA foi revacinado e 83,3%(5/6¨) responderam com concentracao de anticorpos acima de 20mUI/mL
Palavra-chave Hepatite A
Hepatite A/prevenção & controle
Síndrome de Imunodeficiência Adquirida
HIV/imunologia
Imunização secundária
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 66 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 66 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22218

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta