Avaliacao do efeito da S(+)-cetamina associada a anestesia com remifentanila na dor pos-operatoria

Avaliacao do efeito da S(+)-cetamina associada a anestesia com remifentanila na dor pos-operatoria

Título alternativo Evaluation of the effect of S(+)-ketamine associated with remifentanil anesthesia on postoperative pain
Autor Leal, Plinio da Cunha Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Com o uso da remifentanila, ocorre rapido termino do efeito analgesico. Tem sido observada acao preemptiva da S(+)-cetamina, e sua associacao com a remifentanila pode promover analgesia de melhor qualidade e maior duracao. O objetivo deste estudo foi verificar se a S(+)-cetamina associada a remifentanila promove melhora da analgesia pos-operatoria. Metodos: O estudo foi prospectivo, duplo encoberto em 40 pacientes ≥ 18 anos, submetidos a colecistectomia videolaparoscopica. A anestesia foi induzida com 1 mcg.kg-1 de remifentanila, propofol e atracurio. Os pacientes do G1 receberam no intra-operatorio remifentanila (0,4 mcg.kg-1.min-1) e S(+)-cetamina (5 mcg.kg-1.min-1); os do G2, remifentanila (0,4 mcg.kg-1.min-1) e solucao salina a 0,9% na mesma taxa de infusao que a S(+)-cetamina. A dose de remifentanila foi aumentada ou reduzida conforme a necessidade. A infusao das solucoes foi feita ate o fechamento da pele. A dor pos-operatoria foi tratada com morfina atraves de PCA. As variaveis avaliadas foram: dados demograficos dos pacientes; duracao da operacao e da anestesia; dose de remifentanila; tempo para primeira complementacao da analgesia; intensidade da dor pos-operatoria pela escala numerica: a cada 30 minutos durante 4 h, e apos 6, 12, 18 e 24h da extubacao; e quantidade de analgesico utilizada durante 24 h. Os efeitos adversos foram anotados. Resultados: Os dados demograficos das pacientes foram semelhantes em ambos os grupos, assim como a duracao da operacao e da anestesia. Nao houve diferenca no tempo para requerer a primeira dose de morfina entre o G1 (22 ± 24,9 min.) e o G2 (21,5 ± 28,1 min.), ou na intensidade da dor entre os grupos nos momentos avaliados. A dose de remifentanila utilizada, baseada no peso ideal, foi semelhante entre o G1 (0,35 ± 0,10 mcg.kg-1.min-1) e o G2 (0,38 ± 0,10 mcg.kg-1.min-1), assim como a dose total de morfina consumida: 29 ± 18,4 mg para o G1 e 25,1 ± 13,3 mg para o G2. Conclusoes: A associacao de S(+)-cetamina (5 mcg.kg-1.min-1) a remifentanila para colecistectomia videolaparoscopica nao alterou a intensidade da dor pos-operatoria, o tempo para primeira complementacao da analgesia ou a dose total de morfina em 24h
Palavra-chave Ketamina
Analgésicos Opioides
DOR POS-OPERATORIA.
Colecistectomia Laparoscópica
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 60 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 60 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22204

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta