Genetic Polymorphism ofTGB-ß and IFN u γ and its influence on the occurrence of acute kidney injury (AKI)

Sem título

Título alternativo Genetic Polymorphism ofTGB-ß and IFN u γ and its influence on the occurrence of acute kidney injury (AKI)
Autor Grabulosa, Caren Cristina Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: e possivel quevariacoesdo genede TGF-ß eIFN-&#947; interfiramnaproducao de citocinaspro-inflamatoriase, consequentemente, se associem com a ocorrencia deLesao Renal Aguda (LRA). Assim, conjecturamos quepolimorfismos geneticosdessas citocinas podem ter papel determinanteno desfechode LRA em pacientes criticamente internados. Objetivo:O objetivo deste estudo foi avaliar o polimorfismo genetico das citocinas TGF-&#946; e INF-&#947; e sua influencia na ocorrencia de Lesao Renal Aguda em pacientes internados em Unidade de Terapia Intensiva com Sindrome da Resposta Inflamatoria Sistemica (SIRS). Materiais e Metodos:Realizamos um estudo de coorte prospectivo de 400 pacientes graves que foram admitidos em UTI sem deficit de funcao renal. Foram incluidos no estudo 293 (58%) pacientes com SIRS, destes 135 pacientes evoluiram para LRA (grupo com LRA) avaliados atraves do criterio de AKIN e 158 nao evoluiram para LRA (grupo sem LRA). Foi realizado dosagem de niveis de ureia, creatinina serica, Proteina C-Reativa (PCR), albumina e extracao de DNA (tecnica DTAB-CTAB) para pesquisa dos polimorfismos do codon 10T/C e codon 25C/G de TGF u &#946; e intron +874T/A de INF- &#947; por PCR-SSP (Sequence Specific Primer).Resultados:A media de idade dos pacientes foi de 66,9±17,22 (anos) e 66,7% eram do sexo masculino. Observamos que os pacientes que evoluiram para LRA permaneceram maior tempo internados na UTI (8±18 vs. 3±4, p <0,02) e estavam em ventilacao mecanica (21% vs. 6%%, p<0,001). Na analise de regressao logistica binaria, somente a variavel ventilacao mecanica foi preditor de risco para evolucao de LRA (p<0,02) e maior score de APACHE foi preditor de mortalidade. Em relacao ao polimorfismo de TGF-ß, observamos maior frequencia do genotipo TC GG (alto produtor) em pacientes com LRA comparado aos que nao evoluiram para LRA (31,9% vs. 23,4%). Da mesma forma, o genotipo TA (produtor intermediario) de INF-&#947; apresentou maior frequencia nos pacientes com LRA comparado aos que nao evoluiram para LRA (63,7% vs. 59,5%).Entretanto, na analise multivariada ajustada para as variaveis: genotipo, etnia, idade, sexo, APACHE, uso de droga vasoativa e ventilacao mecanica, nao observamos associacao entre os polimorfismos dessas citocinas como marcadores de risco para evolucao da LRA e obito. Alem disso, os haplotipos destes polimorfismos, tambem nao se mostraram como marcador de risco para evolucao da LRA. Conclusao:Embora tenhamos encontrado uma alta prevalencia de genotipos para TGF-&#946; e INF-&#947; com os respectivos fenotipos de alto e produtor intermediario, estes polimorfismos nao foram marcadores determinantes para que pacientes graves internados em UTI tivessem maior risco para evolucao de LRA
Assunto Humanos
Inflamação
Citocinas
Lesão Renal Aguda
Polimorfismo Genético
Humanos
Data 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 84 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 84 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22193

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)