Genetic Polymorphism ofTGB-ß and IFN u γ and its influence on the occurrence of acute kidney injury (AKI)

Sem título

Título alternativo Genetic Polymorphism ofTGB-ß and IFN u γ and its influence on the occurrence of acute kidney injury (AKI)
Autor Grabulosa, Caren Cristina Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: e possivel quevariacoesdo genede TGF-ß eIFN-&#947; interfiramnaproducao de citocinaspro-inflamatoriase, consequentemente, se associem com a ocorrencia deLesao Renal Aguda (LRA). Assim, conjecturamos quepolimorfismos geneticosdessas citocinas podem ter papel determinanteno desfechode LRA em pacientes criticamente internados. Objetivo:O objetivo deste estudo foi avaliar o polimorfismo genetico das citocinas TGF-&#946; e INF-&#947; e sua influencia na ocorrencia de Lesao Renal Aguda em pacientes internados em Unidade de Terapia Intensiva com Sindrome da Resposta Inflamatoria Sistemica (SIRS). Materiais e Metodos:Realizamos um estudo de coorte prospectivo de 400 pacientes graves que foram admitidos em UTI sem deficit de funcao renal. Foram incluidos no estudo 293 (58%) pacientes com SIRS, destes 135 pacientes evoluiram para LRA (grupo com LRA) avaliados atraves do criterio de AKIN e 158 nao evoluiram para LRA (grupo sem LRA). Foi realizado dosagem de niveis de ureia, creatinina serica, Proteina C-Reativa (PCR), albumina e extracao de DNA (tecnica DTAB-CTAB) para pesquisa dos polimorfismos do codon 10T/C e codon 25C/G de TGF u &#946; e intron +874T/A de INF- &#947; por PCR-SSP (Sequence Specific Primer).Resultados:A media de idade dos pacientes foi de 66,9±17,22 (anos) e 66,7% eram do sexo masculino. Observamos que os pacientes que evoluiram para LRA permaneceram maior tempo internados na UTI (8±18 vs. 3±4, p <0,02) e estavam em ventilacao mecanica (21% vs. 6%%, p<0,001). Na analise de regressao logistica binaria, somente a variavel ventilacao mecanica foi preditor de risco para evolucao de LRA (p<0,02) e maior score de APACHE foi preditor de mortalidade. Em relacao ao polimorfismo de TGF-ß, observamos maior frequencia do genotipo TC GG (alto produtor) em pacientes com LRA comparado aos que nao evoluiram para LRA (31,9% vs. 23,4%). Da mesma forma, o genotipo TA (produtor intermediario) de INF-&#947; apresentou maior frequencia nos pacientes com LRA comparado aos que nao evoluiram para LRA (63,7% vs. 59,5%).Entretanto, na analise multivariada ajustada para as variaveis: genotipo, etnia, idade, sexo, APACHE, uso de droga vasoativa e ventilacao mecanica, nao observamos associacao entre os polimorfismos dessas citocinas como marcadores de risco para evolucao da LRA e obito. Alem disso, os haplotipos destes polimorfismos, tambem nao se mostraram como marcador de risco para evolucao da LRA. Conclusao:Embora tenhamos encontrado uma alta prevalencia de genotipos para TGF-&#946; e INF-&#947; com os respectivos fenotipos de alto e produtor intermediario, estes polimorfismos nao foram marcadores determinantes para que pacientes graves internados em UTI tivessem maior risco para evolucao de LRA
Palavra-chave Humanos
Inflamação
Citocinas
Lesão Renal Aguda
Polimorfismo Genético
Humanos
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 84 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 84 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22193

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta