Repercussoes metabolicas e morfologicas intestinais apos interposicao ileal isolada em ratos

Repercussoes metabolicas e morfologicas intestinais apos interposicao ileal isolada em ratos

Título alternativo Metabolic and morphological intestinal repercussions after isolated ileal interposition in rats
Autor Aguiar-Yamaguchi, Gilmara Silva Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivos: Conhecer os efeitos da interposicao ileal isolada em animais de experimentacao normais (nao obesos e nao diabeticos), avaliando as modificacoes metabolicas e morfologicas intestinais. Metodos: Estudo experimental em ratos normais (Wistar-EPM1), com 12 semanas de vida, distribuidos em dois grupos, Grupo Interposicao (GI) com 11 animais, submetidos a interposicao ileal isolada, e Grupo Sham (GS) com 14 animais, submetidos a operacao simulada. Foram avaliados parametros metabolicos (peso, consumo alimentar e bioquimicos) e histologicos (gerais e enteroendocrinos) antes e apos oito semanas do procedimento cirurgico. Resultados: Nao houve diferenca entre os grupos quanto aos seguintes parametros: peso, consumo alimentar, glicemia, insulina, teste de tolerancia insulinica (TTI), niveis de colesterol total, HDL-colesterol e triglicerides. No entanto, na analise isolada de cada grupo, observou-se elevacao dos niveis de glicemia (p=0,032) e de triglicerides (p=0,009) apenas no GS ao final do experimento; bem como diminuicao dos niveis de colesterol total (p=0,004) e aumento dos niveis de insulina (p=0,016) e de HDL-colesterol (p<0,001) apenas no GI. O segmento ileal interposto no GI apresentou aumento da altura de vilosidades (p=0,002) e da relacao vilosidade/cripta (p=0,021), adquirindo caracteristicas semelhantes ao jejuno. Todavia, manteve a quantidade de celulas L enteroendocrinas inalterada. Os demais segmentos intestinais nao apresentaram diferencas estruturais entre os grupos. Conclusoes: A interposicao ileal isolada nao promove perda ponderal ou diminuicao da inGestão alimentar, nao provoca hipoglicemia, nem modifica a sensibilidade a insulina em animais euglicemicos. Pode modificar favoravelmente alguns aspectos do metabolismo glicidico e lipidico. O segmento ileal interposto mantem a quantidade de celulas L enteroendocrinas apos a interposicao ileal isolada, apesar da ojejunizacaoo da mucosa. Por conseguinte, a interposicao ileal isolada deve ser considerada como um potencial procedimento cirurgico para o tratamento de casos selecionados de diabetes tipo 2
Palavra-chave Animais
Cirurgia Bariátrica
Diabetes Mellitus Tipo 2/cirurgia
Peptídeo 1 Semelhante ao Glucagon
Íleo/cirurgia
Íleo
Células Enteroendócrinas
Ratos
Animais
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 81 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 81 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22189

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta