Frequencia de dupla infeccao entre os subtipos B e F1 do HIV-1 em homens brasileiros que fazem sexo com homens

Frequencia de dupla infeccao entre os subtipos B e F1 do HIV-1 em homens brasileiros que fazem sexo com homens

Título alternativo Frequency of subtype B and F1 dual infection in HIV-1 positive, Brazilian men who have sex with men
Autor Oliveira, Ana Carolina Soares de Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: Como varios estudos sobre vacinacao contra HIV estao em progresso, e importante compreender a frequencia na qual ocorrem co/superinfeccoes intra ou intersubtipos em grupos de alto risco. Esse conhecimento auxiliaria no desenvolvimento de programas de prevencao futuros. Nesse estudo transversal, relatamos a frequencia de coinfeccao entre os subtipos B e F1 em uma cohorte clinica de 41 homens que fazem sexo com homens (HSH), recem infectados com HIV-1, em São Paulo, Brasil. Metodologia: O DNA proviral do HIV-1 foi isolado a partir de leucocitos de sangue periferico de sujeitos polimorfonucleares (PMNs), que foram obtidos no momento da inscricao. Cada individuo era conhecidamente infectado por um virus do subtipo B, conforme determinado em estudo anterior. Um pequeno fragmento do gene da integrase (nucleotideo 4255-4478 do HXB2) foi amplificado por PCR utilizando primers especificos para F1. Os resultados da PCR foram confirmados por analise filogenetica. Os dados de carga viral (VL) foram inferidos a partir dos prontuarios de cada paciente. Resultados: Das 41 amostras estudadas, 5 apresentaram DNA proviral do subtipo F1, O que representa uma taxa de 12,2% de coinfeccao. A comparacao entre os valores de carga viral entre os coinfectados e os infectados apenas pelo subtipo B nao foi estatisticamente diferente (p> 0,16). Nos individuos com infeccao dupla a carga viral mediana foi de 5,3 x 104 copias/mL (intervalo de <400 u 12,5 x 104 copias/mL), e nos individuos infectados apenas pelo subtipo B a carga viral mediana foi de 4,3 x 104 copias/mL (intervalo de <400 u 39,9 x 104 copias/mL). Conclusao: Esse estudo indicou que a coinfeccao entre os subtipos B e F1 ocorre com frequencia na populacao de homens que fazem sexo com homens, HIV-1 positivos, como sugerido por um grande numero de virus recombinantes BF1 relatados no Brasil. Na ausencia de uma vacina eficaz contra o HIV-1, o teste para co/superinfeccao e a implantacao de medidas eficazes nos grupos de risco podem ajudar a reduzir a exposicao viral, a transmissao e a recombinacao
Palavra-chave Masculino
Humanos
HIV-1
Variação Genética
Superinfecção
Infecções por HIV
Homossexualidade Masculina
Masculino
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 80 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 80 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22140

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta