Lesões pigmentadas da região genital: análise retrospectiva clinicopatológica e imuno-histoquímica de casos registrados no serviço de Patologia da UNIFESP-EPM, no período de 1998 a 2009

Lesões pigmentadas da região genital: análise retrospectiva clinicopatológica e imuno-histoquímica de casos registrados no serviço de Patologia da UNIFESP-EPM, no período de 1998 a 2009

Título alternativo Pigmented lesion of the genital region: retrospective analysis clinicopathological and immunohistochemical of cases record ed in the Service of Pathology. UNIFESP-EPM in the period 1998 to 2009
Autor Yarak, Samira Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Stávale, João Norberto Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo. Analisar as caracteristicas clinicopatologicas e imuno-histoquimicas das lesoes pigmentadas genitais em populacao com miscigenacao etnica. Metodos. Foi realizada uma revisao sistematica retrospectiva de 111 biopsias de lesoes pigmentares da vulva, perineo, regiao pubiana, penis e escroto e de 31 biopsias de nevos melanociticos de locais nao especiais, no periodo de 1998 a 2009. Resultados. A amostra foi composta por 111 individuos com apenas uma lesao melanocitica na regiao genital. Foram registrados 101 casos de nevos melanociticos genitais habituais, dois casos de macula melanotica genital, sete casos de nevo melanocitico atipico genital, um caso de nevo melanocitico displasico e nenhum caso de melanoma. 14.4% eram do sexo masculino e 85,6% do feminino, com idade media de 34,3 anos. As mulheres apresentaram numero maior de nevo melanocitico atipico genital em relacao aos homens. Esses nevos apresentavam proliferacao melanocitica em ninhos irregulares, coalescentes e com perda da coesao celular em varios locais das cristas epidermicas. Atipia citologica foi de leve a moderada. Nos diferentes tipos histologicos dos nevos melanociticos genitais, a media da contagem de celulas MIB1-dermicas positivas (1,26, ±2,34, p= 0,009) e/ou padrao da coloracao dessas celulas, associados ao padrao superficial de imunorreatividade positiva para HMB45 (p=0,015), foram uteis para o diagnostico diferencial com o melanoma. Independente do tipo histologico e genero, o receptor de estrogeno predominante nos nevos e o β (p=0,001). Os melanocitos genitais (p=0,006) sao mais imunorreativos do que os nao genitais e ambos diminuem a imunorreatividade, conforme a idade (p=0,011 e p=0,019). Conclusoes. O nevo melanocitico atipico genital e raro e esta presente em maior numero na vulva de mulheres jovens e, quando o procedimento empregado e a biopsia excisional, parece nao haver recidivas. Nossos achados sugerem que a associacao de MIB1-dermico e HMB45 podem ser ferramentas uteis na rotina de exames histopatologicos desses nevos, mas ainda e preciso contar com a experiencia do patologista em distinguir morfologicamente esses nevos do melanoma. Alem disso, sugerimos considerar a presenca de lesoes melanociticas na regiao genital, para indicar ou nao a terapia de reposicao hormonal ou ate mesmo o uso topico de estrogenos nesta regiao, em virtude desses melanocitos serem mais imunorreativos ao receptor de estrogeno β e o efeito dos estrogenos nessas celulas ainda nao esta claro
Palavra-chave Humanos
Nevo pigmentado
Genitália
Melanoma
Receptores de estradiol
Neoplasias urogenitais
Humans
Nevus, pigmented
Genitalia
Melanoma
Receptors, estradiol
Urogenital neoplasms
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 173 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 173 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22136

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta