A influencia do treino resistido do biceps como coadjuvante para a reabilitacao do ombro na sindrome do impacto subacromial (SIS)

A influencia do treino resistido do biceps como coadjuvante para a reabilitacao do ombro na sindrome do impacto subacromial (SIS)

Título alternativo The influence of resistance training biceps as an adjunct to rehabilitation of the shoulder in subacromial impingement syndrome (SIS)
Autor Coelho, Ana Candice Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: Sindrome do impacto e considerada, consensualmente, a afeccao mais frequente da cintura escapular, a qual acomete principalmente mulheres entre a quarta/quinta decada, sendo eventualmente bilateral. Caracteriza-se por dor na face anterolateral do ombro, que se exacerba a abducao com rotacao externa ou interna e flexao. Objetivo: Avaliar a efetividade do treino resistido progressivo do biceps na melhora da dor, funcao, qualidade de vida em pacientes com sindrome do impacto subacromial (SIS). Metodo: Foram selecionados 60 pacientes, de ambos os sexos, com diagnostico de SIS na triagem do Ambulatorio de Fisioterapia da Universidade de Ciências da Saúde de Alagoas. O trabalho foi aprovado pelo Comite de Etica e Pesquisa da Uncisal. Os pacientes foram randomizados e alocados em grupos controle e experimental, sendo submetidos a avaliacao no instante inicial (T0), apos um mes e meio de tratamento (T45) e apos tres meses (T90). Foram avaliados quanto a dor, amplitude de movimento articular, forca, capacidade funcional por meio do Disabilities of The Arm, Shoulder and Hand (DASH) e quanto a qualidade de vida pelo questionario generico SF-36 e pelo Westein Ontario Rotator Cuff Index (WORC), especifico para lesao do manguito rotador. Os pacientes foram instruidos quanto a utilizacao de anti-inflamatorios nao hormonais e analgesicos, na presenca de dor exacerbada. O grupo experimental foi submetido ao treino resistido progressivo do biceps, associado a exercicios padrao para os musculos do manguito rotador e estabilizadores da escapula, enquanto o grupo controle submeteu-se, apenas, a pratica dos exercicios padrao. A frequencia de treinamento, para todos os grupos, foi duas vezes por semana em 3 meses. Resultados: Sessenta pacientes foram randomizados e alocados no grupo experimental (22 mulheres/8 homens e faixa etaria ± 40,9 anos) e grupo controle (24 mulheres/6 homens, faixa etaria ± 45,7 anos). A evolucao do grupo experimental, quanto a dor, foi de 6,0 cm para 2,4 cm na escala visual analogica de dor com 10 cm (P < 0,001), enquanto no grupo controle a evolucao da dor foi de 6,9 cm para 4,2 cm. A funcao, avaliada pelo DASH, foi de 39,7 para 21,6 no grupo experimental (P < 0, 001) e no grupo controle variou de 48,9 para 33,3. A qualidade de vida foi superior no grupo experimental em relacao ao controle, sendo a analise atraves do SF-36 significante no dominio capacidade funcional (P = 0,003) e aspectos fisicos (P = 0,003). Atraves do WORC a qualidade de vida, apenas no dominio esporte e recreacao (P = 0,038), apresentou melhora significante no grupo experimental em relacao ao grupo controle. Conclusao: A execucao do treino resistido progressivo para o biceps, associado a exercicios terapeuticos para os musculos estabilizadores do ombro e da escapula, e efetivo para a reducao da dor e aumento da funcao e qualidade de vida
Palavra-chave Humanos
Síndrome de Colisão do Ombro
Síndrome de Colisão do Ombro/reabilitação
Terapia por Exercício
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2011
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2011. 82 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 82 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22106

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta