Acao dos antioxidantes vitaminas C e E no perfil hemolitico de pacientes com doenca falciforme

Acao dos antioxidantes vitaminas C e E no perfil hemolitico de pacientes com doenca falciforme

Título alternativo Effect of Vitamin C and Vitamin E supplementation in the hemolytic profile of sickle cell anemia patients: a randomized, double-blind, placebo-controlled trial
Autor Arruda, Martha Mariana de Almeida Santos Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução e objetivos: Estresse oxidativo (EO) e o conjunto de processos celulares que leva a geracao de especies reativas de oxigenio (ROS). Os metais, como o ferro, tem grande capacidade de catalisar reacoes oxidativas e a hemoglobina (Hb), por conter ferro, e fonte significativa de geracao de ROS. Existe uma taxa fisiologica normal de formacao e retirada de ROS, porem algumas doencas, notadamente anemias hemoliticas, desequilibram o sistema. No eritrocito, EO afeta primariamente a membrana e resulta em hemolise intra e extravascular, podendo contribuir para a fisiopatologia das anemias. EO continuo promove aumento da expressao de moleculas de adesao e ativacao dos sistemas inflamatorios, hemostatico e reticulo-endotelial, potencialmente aumentando o clearance dos eritrocitos oxidados. Ja foi demonstrado que hemacias de pacientes com anemia falciforme (AF) produzem continuamente maiores quantidades de ROS que celulas normais e que o uso de antioxidantes in vitro reduz o EO. Postula-se que estas drogas poderiam prevenir tanto a adesao quanto a fagocitose dos eritrocitos oxidados e consequentemente, hemolise. Este e um estudo clinico randomizado, duplo-cego, placebo-controlado de suplementacao oral das vitaminas (vit) antioxidantes C e E em pacientes com AF, com o objetivo de avaliar seu impacto no perfil hemolitico e complicacoes agudas destes pacientes. Metodos: Pacientes AF foram randomizados para receber vit C 1.400 mg + vit E 800 mg/dia ou placebo por via oral por 180 dias, sendo excluidos gestantes e pacientes com sobrecarga de ferro fora de terapia quelante. Eles foram avaliados clinicamente e submetidos a questionario de qualidade de vida e coleta de sangue nos dias 0, 90 e 180 (hemograma, provas de hemolise, funcao renal e hepatica e dosagem serica vitC e vitE). Resultados: Foram incluidos 83 pacientes, sendo randomizados 44 para vit e 39 para placebo. A idade mediana foi de 27 (18-68) anos e 64% eram mulheres. Nao houve diferenca significativa entre os grupos em relacao a complicacoes clinicas da AF, nivel serico das vitC e E e exames laboratoriais basais. DefiCiência de vitC era vista em 60% (30% grave), de vit E em 70% (33% grave), e 44% eram deficientes em ambas vit. A suplementacao aumentou a mediana do nivel serico da vitC de 27 para 62 µMol/L (p<0,0001) e da vitE de 14 para 20 µMol/L (p<0,0001). Nao se observou diferenca em niveis de Hb, hematocrito, volume corpuscular medio, contagem de plaquetas, ureia, provas de funcao e lesao hepatica. No entanto, pacientes recebendo vit apresentaram elevacao significativa da mediana da contagem de reticulocitos (152 para 195 x106/µL, p=0,01), lactato-desidrogenase (396 para 425 U/L, p=0,018), bilirrubina indireta (1,45 para 1,73 mg/dl, p<0,0001), acido urico (4,75 para 5,15, p=0,02), creatinina (0,49 para 0,58, mg/dL, p=0,002), reducao da taxa de filtracao glomerular (208 para 180, mL/min/1,73 m², p=0,017), aumento da contagem de neutrofilos (4,24 para 4,88 x106/µL, p=0,04), proteina C reativa (5 para 6,5 mg/L, p=0,006) e reducao da haptoglobina serica, que ja estava muito reduzida em ambos os grupos (3,95 para 3,45 mg/dL, p=0,045). Nao houve diferenca na incidencia de complicacoes agudas (dor ou outras com necessidade de hospitalizacao, sindrome toracica aguda, transfusao de hemacias e uso de analgesicos) ou mudanca em escores de qualidade de vida entre os grupos. Conclusao: Suplementacao com vitaminas antioxidantes C e E nao melhora a anemia e, surpreendentemente, eleva marcadores laboratoriais de hemolise e inflamacao em pacientes com AF. Apesar da nitida defiCiência destas vitaminas, nao se recomenda a suplementacao neste contexto. O mecanismo exato para explicar estes achados ainda e desconhecido
Palavra-chave Humanos
Anemia Falciforme
Estresse Oxidativo
Suplementos Nutricionais
Ácido Ascórbico
Tocoferóis
Hemólise
Método Duplo-Cego
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2011
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2011. 183 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 183 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22105

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta