Farmacogenomica da doenca de Alzheimer na populacao de São Paulo

Farmacogenomica da doenca de Alzheimer na populacao de São Paulo

Título alternativo Pharmacogenomics of cholinesterase inhibitors at Brazilian elderly with AlzheimerÆs disease
Autor Braga, Ianna Lacerda Sampaio Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A Doenca de Alzheimer (DA) e uma doenca neurodegenerativa, progressiva e irreversivel. A DA de acometimento precoce e em geral familiar e exibe padrao de heranca autossomica dominante enquanto que a DA de acometimento tardio esta associada a casos esporadicos, heranca complexa e elevada herdabilidade. A investigacao das vias de neurotransmissao na DA identificou deterioracao nas vias da acetilcolina (ACh), sendo que a degeneracao de neuronios colinergicos e um dos primeiros acontecimentos no curso da DA e esta relacionada ao declinio da atividade cognitiva. Foram avaliadas as frequencias genotipicas, alelicas e o Equilibrio de Hardy-Weinberg, dos polimorfismos da via da ACh: rs6494223 do gene do receptor nicotinico alfa 7(α7 nAChR), o rs733722 do gene da Colina Acetiltransferase (ChAT) e rs2571598 do gene da acetilcolinesterase (AChE), e os polimorfismos (rs429358 e rs7412) do gene da APOE, do metabolismo lipidico. Bem como avaliada a resposta ao tratamento farmacologico a inibidores da acetilcolinesterase (iAChE) de 205 pacientes com DA com a presenca dos polimorfismos dos genes citados. O DNA dos pacientes foi extraido a partir do sangue periferico total coletado. A genotipagem dos polimorfismos dos genes α7 nAChR, ChAT e AChE foi realizada por meio da tecnica de PCR-RFLP, enquanto que a deteccao dos alelos ε2, ε3 e ε4 do gene da APOE foi feita por PCR em Tempo Real. As frequencias alelicas e genotipicas foram determinadas e as amostras de todos os genes avaliados estavam em equilibrio de Hardy-Weimberg. Foi observado que o alelo polimorfico T do gene α7 nAChR mostrou associacao com uma melhor resposta aos 6 meses do inicio do tratamento por iAChE em pacientes com DA na fase inicial (MEEM>20) (p=0,0021). E que individuos com DA mais avancada (MEEM ≤ 20) que possuam o alelo ancestral C do gene da ChAT respondiam melhor ao tratamento com iAChE. Dessa forma, pode-se sugerir que estes polimorfismos predispoem a uma melhor resposta a droga e podem ser possiveis marcadores sanguineos para a resposta a esse tratamento da DA
Palavra-chave Humanos
Doença de Alzheimer
Farmacogenética
Receptores Nicotínicos
Colina O-Acetiltransferase
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 71 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 71 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22093

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta