Estudo comparativo da sobrevivencia e fatores prognosticos no adenocarcinoma gastrico que invade a muscular propria - T2 e a subserosa - T3

Estudo comparativo da sobrevivencia e fatores prognosticos no adenocarcinoma gastrico que invade a muscular propria - T2 e a subserosa - T3

Título alternativo Survival and prognostic factors in T2 gastric adenocarcinoma
Autor Juca, Patricia Chaves de Freitas Campos Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Avaliar a sobrevivencia e os fatores prognosticos em doentes com adenocarcinoma gastrico restrito a camada muscular propria (T2), submetidos a cirurgia curativa, comparando seus resultados com o tumor que invade a subserosa (T3). Metodos: Estudo retrospectivo de 122 doentes consecutivos, tratados, no Servico de Cirurgia Abdominopelvica do Hospital do Cancer I, Instituto Nacional de Cancer (INCA), Rio de Janeiro, no periodo de janeiro de 1997 a dezembro de 2008 e acompanhados ate dezembro de 2010. Foram analisadas variaveis demograficas, cirurgicas e anatomopatologicas quanto ao tamanho e localizacao do tumor no estomago, aspecto macroscopico, numero de linfonodos ressecados, invasao do tumor na parede gastrica (pT), presenca de metastase linfonodal, estadiamento patologico linfonodal (pN), grau de diferenciacao celular, presenca de invasao venosa, linfatica e neural e estadiamento por grupos. Resultados: Dos 122 doentes, 22 (18%) foram excluidos da analise final porque apresentaram: margem positiva (1), mortalidade pos-operatoria (4), segundo tumor primario (4) e menos de 15 linfonodos na peca cirurgica (13). Entre os 100 doentes incluidos, 75 apresentavam tumores com invasao da muscular propria (T2) e 25 com invasao da subserosa (T3). A media da idade foi 60 ± 12 anos. Ambos os grupos eram homogeneos quanto a idade, sexo e numero de linfonodos ressecados. A sobrevivencia global foi de 83,8%, sendo 90,6% no T2 e 52,1% no T3. Na analise univariada apresentaram significancia estatistica as variaveis, tamanho do tumor (p=0,000), metastase linfonodal (p=0,02), estadiamento patologico do tumor (p=0,000), estadiamento patologico linfonodal (p=0,000) e estadiamento por grupos da classificacao TNM UICC / AJCC, 2010 (p=0,000). Na analise multivariada, os fatores prognosticos independentes foram o tamanho do tumor e o estadiamento patologico linfonodal (pN). Conclusao: O comprometimento linfonodal e o tamanho do tumor sao fatores prognosticos independentes no T2 e T3. O T2 apresenta menor tamanho, menor taxa de linfonodos metastaticos e consequentemente melhor prognostico que o T3
Palavra-chave Humanos
Adenocarcinoma
Neoplasias Gástricas
Membrana Serosa
Prognóstico
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2011
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2011. 94 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 94 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22061

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta