Efeitos da associacao de raquianestesia com sufentanil a anestesia geral em pacientes submetidos a revascularizacao do miocardio

Efeitos da associacao de raquianestesia com sufentanil a anestesia geral em pacientes submetidos a revascularizacao do miocardio

Título alternativo The effects of adding intrathecal sufentanil to general anesthesia in patients undergoing coronary artery bypass grafting
Autor Nigro Neto, Caetano Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Avaliar os efeitos da associacao de sufentanil intratecal a anestesia geral com relacao as alteracoes hemodinamicas no intraoperatorio, em pacientes submetidos a cirurgia de revascularizacao do miocardio com circulacao extracorporea. Tambem avaliados seus possiveis impactos em resultados pos-operatorios, como tempo para a retirada da canula endotraqueal, analgesia e tempo de permanencia na unidade de terapia intensiva e hospitalar. Metodos: Estudo randomizado e prospectivo, nao encoberto ao regime anestesico utilizado, realizado no Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia apos aprovacao pelo Comite de Etica em pesquisa local. Incluidos 40 pacientes de ambos os sexos, divididos em dois grupos, S e N, na dependencia de receberem ou nao 1 μg.kg-1 de sufentanil intratecal, respectivamente. A inducao e manutencao da anestesia , incluindo a CEC, foram feitas com sevoflurano, pancuronio e infusao continua de remifentanil. Obtidas variaveis hemodinamicas, niveis sericos de troponina cardiaca I e peptideo natriuretico tipo B (avaliando cardioprotecao), interleucina 6 e fator de necrose tumoral alfa (avaliando resposta inflamatoria), dados coletados no intra e no pos-operatorio. Na analise estatistica os dados obtidos foram expressos em numero (porcentagem), media (±desvio padrao), ou mediana (variacao interquartil). Os testes compararam os grupos com relacao aos dados demograficos; necessidade do uso de drogas vasoativas; consumo de agentes anestesicos; dados bioquimicos e dados hemodinamicos. Resultados: Os grupos foram comparaveis quanto aos dados demograficos. Os pacientes do grupo S necessitaram de menor suporte inotropico com dopamina quando comparados aos pacientes do grupo N (9,5% vs 58%; p=0,001) e tambem menor consumo de remifentanil (62% vs 100%; p=0,004). Nao houve diferenca estatistica significativa quanto aos dados bioquimicos avaliados. Conclusoes: Os pacientes que receberam sufentanil intratecal apresentaram maior estabilidade hemodinamica quando comparados ao grupo controle. Tal resultado foi demonstrado por um menor suporte inotropico e menor necessidade nas doses de opiodes venosos utilizadas. Estes efeitos nao parecem terem sidos decorrentes de menor resposta inflamatoria, como tambem por maior cardioprotecao
Palavra-chave Humanos
Revascularização Miocárdica
Raquianestesia
Sufentanil
Interleucinas
Troponina I
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 91 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 91 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22033

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta