Correlacao entre cistatina C serica e marcadores de aterosclerose subclinica e fatores de risco cardiovascular convencionais em pacientes hipertensos sem doenca cardiovascular manifesta

Correlacao entre cistatina C serica e marcadores de aterosclerose subclinica e fatores de risco cardiovascular convencionais em pacientes hipertensos sem doenca cardiovascular manifesta

Título alternativo Correlation between serum cystatin C and markers of subclinical atherosclerosis and conventional cardiovascular risk factors in hypertensive patients without disease cardiovascular manifested
Autor Monteiro Junior, Francisco das Chagas Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A estratificacao de risco cardiovacular (RCV) baseada apenas em fatores classicos, mais comumente representada pelo escore de Framingham (EF), tem apresentado limitacoes, principalmente por subestimar a probabilidade de eventos em individuos classificados inicialmente como de baixo e medio risco, suscitando o estudo e incorporacao de novos marcadores na pratica clinica. A cistatina C, um novo marcador de funcao renal, tem sido associada a fatores de risco estabelecidos e descrita tambem como preditora de mortalidade cardiovascular, principalmente em idosos. Entretanto ainda nao ficou definido se ela seria apenas um melhor marcador de funcao renal, e esta e que estaria verdadeiramente implicada com o RCV, ou se poderia ser considerada um marcador de aterosclerose, independente da funcao renal, ja que e uma proteina reguladora envolvida no catabolismo de proteases. Nesta pesquisa, procurou-se correlacionar os niveis sericos da cistatina C com a medida do complexo medio-intimal de arteria carotida (CMI) e a dilatacao mediada por fluxo de arteria braquial (DMF), marcadores, respectivamente, estrutural e funcional de aterosclerose, em pacientes hipertensos de meia idade sem doenca cardiovascular manifesta, buscando-se ainda pesquisar a sua associacao com fatores de risco convencionais e marcadores inflamatorios. Trata-se de estudo transversal envolvendo 103 hipertensos cadastrados em uma liga universitaria, escolhidos por sorteio, com media de idade de 57,49 ± 11,78 anos, sendo 60 do sexo feminino (58,25%), predominantemente de baixo e medio risco, segundo o EF, e com funcao renal preservada. Os pacientes foram submetidos a avaliacao clinico-laboratorial, incluindo a dosagem da cistatina C por imunonefelometria e determinacao do clearance de creatinina, ecocardiograma e medida da espessura do CMI e pesquisa da DMF, ambas por meio da ultra-sonografia de alta resolucao. Os dados foram analisados no programa SPSS 16.0, adotando-se como significativo um p < 0,05. Como esperado, a cistatina C correlacionou-se significativamente, de forma inversa, com o clearance de creatinina medido (r = -0,421 e p < 0,001), da mesma forma que com todos os outros parametros estimativos da funcao renal. Nao se verificou, no entanto, correlacao significativa nem com a espessura do CMI (r= -0,024 e p =0,84) nem com a DMF (r = -0,050 e p = 0,687), embora se tenha verificado uma associacao significativa destes dois marcadores entre si (r=-0,480, com p<0,001). Com excecao da idade (r = 0,408 e p < 0,001), tambem nao se evidenciou associacao significativa com fatores de risco convencionais, sindrome metabolica, indice de massa do ventriculo esquerdo nem marcadores inflamatorios. Na analise bivariada, observou7 se ainda associacao significativa com microalbuminuria (r = 0,291 e p = 0,014), acido urico (r = 0,391 e p < 0,001), relacao E/eÆ (r = 0,242 e p = 0,049) e EF (r = 0,359 e p = 0,001). No entanto, apos analise de regressao multipla, incluindo-se todas as associacoes com p < 0,10, apenas a correlacao com o clearance de creatinina medido se manteve significativa (r = -0,491 e p < 0,001). Em conclusao, apesar de ter a sua correlacao com parametros de funcao renal confirmada, neste perfil de pacientes a cistatina C nao apresentou associacao significativa com marcadores de aterosclerose subclinica e de inflamacao nem com fatores de risco convencionais
Palavra-chave Humanos
Fatores de Risco
Doenças Cardiovasculares
Aterosclerose
Hipertensão
Cistatina C
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 107 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 107 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22006

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta