Efeito da inGestão de alimento sobre o teor extracelular de glicose no cortex cerebral de ratos alimentados com dietas hiperlipidicas

Efeito da inGestão de alimento sobre o teor extracelular de glicose no cortex cerebral de ratos alimentados com dietas hiperlipidicas

Título alternativo Effect of food intake on the extracellular glucose levels in the cerebral cortex of rats fed with hyperlipidic diets
Autor Souza, Adriana Pereira Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A glicose que alcanca o cerebro pode atuar nao apenas como um sinalizador da inGestão alimentar para o controle homeostatico do balanco energetico como tambem interagir com os mecanismos centrais envolvidos no aspecto hedonico da ingestao. A grande prevalencia de obesidade indica que, na presenca de alimentos palataveis, o controle homeostatico pode ser perdido, ocorrendo hiperfagia. A glicose pode agir em areas implicadas ao aspecto hedonico da inGestão alimentar, como o cortex pre-frontal. Ratos Wistar alimentados dos 2 aos 4 meses com dieta controle ou hiperlipidica (soja ou banha) foram submetidos a diferentes experimentos de microdialise cerebral ou de canulacao da arteria carotida (com apresentacao de alimento ou injecao i.p. de glicose). As dietas hiperlipidicas soja e banha nao foram capazes de aumentar significantemente o peso dos animais, contudo houve um grande aumento dos depositos de gordura em ambos os grupos alimentados com as dietas hiperlipidicas, mostrando um efeito obesogenico. As dietas nao modificaram a glicemia e a insulinemia de jejum. Apos a inGestão de alimento, houve aumento da glicemia no grupo controle e no grupo banha, sendo que neste ultimo a glicemia nao retornou aos valores basais apos 240 minutos demonstrando uma diminuicao na tolerancia a glicose. Nao houve alteracao da glicose sanguinea no grupo soja. No experimento de microdialise cerebral nao houve diferenca no teor de glicose no cortex pre-frontal apos a inGestão alimentar em nenhum dos tres grupos. O teor de glicose basal do grupo soja foi significantemente menor em comparacao ao grupo controle e no grupo banha houve uma tendencia a diminuicao, mostrando que a inGestão cronica das dietas hiperlipidicas afeta o teor basal de glicose no cortex pre-frontal. Apos injecao i.p. de glicose, a glicemia do grupo controle teve elevacao maxima aos 12 minutos (elevacao de 228%), aos 60 minutos a glicemia retornou aos seus valores basais. No experimento de microdialise, observou-se que apos injecao i.p. de glicose o grupo controle teve seu teor de glicose elevado nos primeiro 30 minutos, retornando aos valores basais aos 60 minutos. Nao houve alteracao no teor de glicose no grupo soja e no grupo banha houve maior elevacao quando em comparacao ao grupo controle (elevacao maxima de 590% aos 60 minutos no grupo banha frente a 170% aos 30 minutos no grupo controle), sendo que o teor de glicose do grupo banha retornou aos valores basais somente apos 210 minutos. Com os dados apresentados podemos concluir que as dietas hiperlipidicas possuem efeito obesogenico. Alem disso, nossos resultados demonstraram que o consumo cronico de dietas hiperlipidicas afeta os niveis extracelulares basais de glicose no cortex pre-frontal. Por fim, observamos que a inGestão aguda nao modificou os niveis extracelulares de glicose no cortex pre-frontal, indicando que a glicose nao age como sinalizadora aguda nesta area
Palavra-chave Animais
Microdiálise
Glucose
Córtex Cerebral
Dieta Hiperlipídica
Ratos Wistar
Animais
Idioma Português
Data de publicação 2011
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2011. 69 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 69 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21957

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta