Caracterizacao do papel dos receptores purinegicos P1 e P2 envolvidos na regulacao da funcao atrial em ratos normotensos e hipertensos

Caracterizacao do papel dos receptores purinegicos P1 e P2 envolvidos na regulacao da funcao atrial em ratos normotensos e hipertensos

Título alternativo Characterization of the role of purinegicos P1 and P2 receptors involved in regulation atrial function in normotensive and hypertensive rats
Autor Rodrigues, Juliano Quintella Dantas Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: Os nucleotideos de purina, como o ATP e de pirimidina, como o UTP sao armazenados juntamente com a noradrenalina nas vesiculas sinapticas e liberadas dos terminais nervosos simpaticos. A acao desses nucleotideos nestas sinapses e mediada pelos receptores purinergicos P1 e P2, expressos em diversos tecidos do organismo. Os purinoceptores modulam, por exemplo, o sistema cardiovascular, mais especificamente o coracao no qual alteram o inotropismo e o cronotropismo. Nesse sentido como os mecanismos celulares e moleculares envolvendo os purinoceptores e o coracao nao estao esclarecidos na hipertensao arterial sistemica (HAS) tornou-se importante investigar a participacao desses receptores na regulacao da funcao atrial em animais normotensos e hipertensos. Materiais e Metodos: Os atrios direito (AD) e esquerdo (AE) dos ratos Wistar normotenso (NWR) e dos ratos Wistar espontaneamente hipertensos (SHR) de 4 a 6 meses foram isolados e montados em banho de orgaos isolados a 36,5°C e nutridos por uma solucao de Krebs-Henseleit continuamente borbulhada com mistura carbogenica (95% O2 + 5% CO2). Os AE foram submetidos a estimulacao eletrica transmural (EET) (2Hz, 5ms e 8-12 V) e os AD apresentaram batimentos espontaneos (180 a 420 bpm). Foram analisados parametros farmacologicos (pD2 e Emax) e fisiologicos (forca de contracao e frequencia cardiaca). Foram verificados os efeitos inotropicos e cronotropicos dos agonistas endogenos o ATP e o UTP, nas concentracoes de 10 nM a 1 mM, na ausencia e na presenca dos antagonistas seletivos dos receptores P1 e P2 (PPADS, Suramin, DPCPX, ZM 241385, MRS 1220). Tambem foi estudado a homeostase celular do Ca2+ com os farmacos: CCCP, nifedipina e rianodina. Os resultados foram analisados pelo teste t de Student nao pareado e analise de variancia - ANOVA de uma via com pos-teste a correcao de Bonferroni. Resultados: Os resultados obtidos demonstraram que o ATP (1 μM a 1 mM) e o UTP (1 μM a 1 mM) alteram o inotropismo e o cronotropismo dos atrios isolados dos animais NWR e SHR. Inicialmente, ambos os nucleotideos apos serem incubados produziram um efeito inotropico negativo (EIN), de cerca de 1 min de duracao seguido de um efeito inotropico positivo (EIP), que durou cerca de 7 min, concentracao-dependente. O ATP e o UTP produziram um EIN inicial de menor amplitude para o SHR. Apos este efeito comecou um EIP que apresentou maior amplitude para o SHR tanto para AD quanto AE. O EIN de ambos os nucleotideos foram bloqueados parcialmente pelo antagonista seletivo dos receptores A1 o DPCPX sugerindo que o receptor A1 seria o responsavel por esta resposta. Depois os antagonistas seletivos dos receptores P2 o PPADS e o Suramin bloquearam o EIP de ambos os nucleotideos tanto para AD quanto AE de SHR e de NWR, sugerindo que esta resposta seria mediada pelo receptor P2. Depois, utilizando o agonista dessensibilizante dos receptores P2X o α-β-metileno-ATP, pode-se inferir que o receptor P2Y participa majoritariamente na producao do EIP para ambos os animais e para ambos os atrios. Alem disso, ambos os nucleotideos modularam a frequencia do AD evidenciando a presenca de receptores purinergicos no nodo sinoatrial (NSA). Alem disso, os antagonistas sugeriram a participacao dos receptores A1 e P2 no NSA. Este estudo ainda evidenciou a participacao do ion calcio extra (utilizando o farmaco nifedipina que bloqueia os Canais de Ca2+ voltagem dependente (Cavs) do tipo L) e intracelular na producao do EIP dos nucleotideos para ambas as linhagens de animais e em ambos os atrios. A maior participacao foi dos estoques de calcio do reticulo sarcoplasmatico (RS) tanto para os animais normotensos quanto para os hipertensos, dado obtido pelo farmaco rianodina. Alem disso, utilizando o farmaco CCCP constatou-se a participacao da mitocondria na genese do EIP produzido pelos nucleotideos em ambos os atrios e para ambos os animais estudados. Conclusao: Portanto, os nossos resultados sugerem que os receptores A1, P2X e P2Y participam da regulacao da funcao contratil do AE e AD e da modulacao da frequencia do AD, de animais normotensos e hipertensos. As diferencas de pD2 e Emax e os resultados dos antagonistas sugerem alteracoes na neurotransmissao purinergica em SHR. Essas alteracoes poderiam ser explicadas, provavelmente, pelo aumento de expressao e/ou da afinidade dos receptores P2 bem como uma diminuicao da expressao e/ou afinidade dos receptores A1. Alem disso, as alteracoes funcionais dos receptores purinergicos sugerem modificacoes na homeostase celular dos ions calcio
Palavra-chave Animais
Contração Muscular
Frequência Cardíaca
Receptores Purinérgicos P1
Receptores Purinérgicos P2
Trifosfato de Adenosina
Uridina Trifosfato
Hipertensão
Cálcio
Ratos Wistar
Animais
Idioma Português
Data de publicação 2011
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2011. 198 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 198 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21955

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta