Treinamento de clínicos para o diagnóstico e tratamento da depressão

Treinamento de clínicos para o diagnóstico e tratamento da depressão

Título alternativo An educational training program for physicians for diagnosis and treatment of depression
Autor Valentini, Willians Google Scholar
Levav, Itzhak Google Scholar
Kohn, Robert Google Scholar
Miranda, Claudio T Google Scholar
Mello, Andrea de Abreu Feijó de Autor UNIFESP Google Scholar
Mello, Marcelo Feijó de Autor UNIFESP Google Scholar
Ramos, Cássia P Google Scholar
Instituição Serviço de Saúde 'Dr. Cândido Ferreira'
Ministério da Saúde
Brown University Providence Department of Psychiatry and Human Behavior
Organização Mundial da Saúde Organização Panamericana de Saúde
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: The American Regional Office of the WHO has launched a major initiative to reduce the prevalence of affective disorders region-wide that includes focusing on the primary health care system. This study evaluated the results of an educational training program for Brazilian primary care physicians that measured changes in knowledge, attitudes, and practice. METHODS: A total of 17 primary care physicians and 1,224 patients participated in the study. Physician's knowledge, attitudes, and clinical practice were assessed one-month prior and one-month following the training program. In addition, the patients that visited the clinic during a typical week completed depression symptom self-ratings, including the Zung and a DSM-IV/ICD-10 major depression checklist at both times. RESULTS: The training program showed limited benefits in this small sample of physicians. The program was unable to demonstrate benefit in improving knowledge about depression and in changing disorder-related attitudes. There were no changes in the diagnostic rates of major depression. There was some evidence to support improvement in psychopharmacological management. The physicians seemed more confident in treating patients, as there was a reduction of referrals to the specialists. Lack of statistical power prevented the latter two findings from reaching statistical significance. CONCLUSIONS: The inclusion of primary care physicians is a central component of any initiative to reduce the treatment gap and lag of depression. However, more effective methods of training Brazilian primary care physicians in the management of major depression need to be tested.

OBJETIVO: Avaliar os resultados da aplicação de programa de treinamento da Organização Mundial de Saúde, voltado para diagnóstico e tratamento da depressão, dirigido a médicos clínicos gerais. MÉTODOS: Dezessete clínicos e 1.224 pacientes da cidade de Campinas, SP, participaram do estudo. Um mês antes e um após o treinamento, foram avaliados o conhecimento dos médicos, suas atitudes e o atendimento prestado aos pacientes; esses, por sua vez, completaram escalas de auto-avaliação de sintomas depressivos: Zung e um checklist para depressão maior do manual para diagnóstico e estatística em saúde mental (DSM-IV/CID-10). A mudança de conhecimento e atitude dos clínicos entre as fases 1 e 2 foi avaliada pelos testes t de Student. Mudanças com relação ao conhecimento de cada indivíduo foram mensuradas pelo teste de qui-quadrado de McNemar. As diferenças entre o modo de atender os pacientes entre as duas fases foram determinadas pelo teste de qui-quadrado de Pearson. A concordância diagnóstica foi analisada utilizando o Kappa, com o intuito de corrigir a concordância ao acaso. RESULTADOS: O programa mostrou benefícios limitados nessa amostra de clínicos gerais. Não foi capaz de mostrar aumento do conhecimento sobre a depressão e nem quanto à atitude dos médicos com relação a esse transtorno. Não houve modificação no número de casos diagnosticados antes ou após o programa. Existiram algumas evidências com relação à melhora no manejo psicofarmacológico. Aparentemente, o programa tornou os clínicos mais confiantes para o tratamento da depressão, diminuindo o número de encaminhamentos feitos aos profissionais da área de saúde mental. Porém, um baixo poder estatístico não permitiu que os dois últimos achados atingissem significância. CONCLUSÕES: A inclusão de clínicos gerais é um componente central de qualquer iniciativa para melhorar a detecção e o tratamento da depressão, porém faz-se necessário testar melhores métodos de treinamento dos clínicos brasileiros no manejo desta.
Palavra-chave Primary health care
Depression
Health education
Knowledge, attitudes, practice
Training
Physicians, family
Cuidados primários de saúde
Depressão
Educação em saúde
Capacitação
Conhecimentos, atitudes e prática
Médicos de família
Idioma Português
Data de publicação 2004-08-01
Publicado em Revista de Saúde Pública. Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, v. 38, n. 4, p. 523-528, 2004.
ISSN 0034-8910 (Sherpa/Romeo)
Publicador Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Extensão 523-528
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102004000400007
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0034-89102004000400007 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/2193

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0034-89102004000400007.pdf
Tamanho: 46.71KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta