Resposta imune a vacinacao contra sarampo e varicela em criancas nascidas prematuras com muito baixo peso

Resposta imune a vacinacao contra sarampo e varicela em criancas nascidas prematuras com muito baixo peso

Título alternativo Immune response to vaccination against measles and varicella in very low birth weight preterm infants
Autor Schlindwein, Carolina Frank Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Comparar a resposta imunologica humoral e celular a vacinacao contra sarampo e varicela em lactentes nascidos prematuros com lactentes nascidos a termo e determinar os fatores associados ao nivel de anticorpos contra sarampo e varicela. Metodos: Estudo prospectivo realizado de setembro de 2007 a janeiro de 2010. Foram incluidos lactentes de 12 a 18 meses de idade, nascidos com idade gestacional <37 semanas e peso <1500g, acompanhados no Ambulatorio de Prematuros da Escola Paulista de Medicina/Universidade Federal de São Paulo e lactentes nascidos a termo, sem intercorrencias no periodo neonatal, acompanhados em uma Unidade Basica de Saúde. Foram excluidos: criancas com malformacoes congenitas, sorologia materna positiva para HIV, suspeita de imunodefiCiência primaria ou transfusao de plasma ou imunoglobulinas cinco meses antes ou tres semanas apos a vacinacao. Os titulos de anticorpos foram medidos por ensaio imunoenzimatico indireto (ELISA), antes e apos vacinacao contra sarampo (12 e 15 meses, respectivamente) e varicela (15 e 18 meses, respectivamente). Considerou-se imunidade para sarampo titulos de anticorpos >0,12 UI/mL e para varicela, titulos &#8805;0,1 UI/mL. A resposta imune celular foi avaliada por citometria de fluxo, determinando-se a porcentagem de celulas T CD4+ e T CD8+ produtoras de interferon-gama apos estimulacao in vitro com fitohemaglutinina e antigenos especificos de sarampo e varicela. Os dados demograficos e clinicos desde o nascimento ate a inclusao no estudo foram comparados por teste t, Mann-Whitney, qui-quadrado ou teste exato de Fisher, conforme natureza e distribuicao da variavel analisada. Os titulos de anticorpos foram expressos em medias geometricas e comparados por teste de Mann-Whitney. A comparacao da porcentagem de celulas T CD4+ e T CD8+ entre lactentes prematuros e a termo foi realizada pelo teste de Mann-Whitney e entre duas epocas no mesmo grupo pelo teste de Wilcoxon. Fatores associados ao nivel de anticorpos contra sarampo e varicela foram determinados por regressao linear. O tamanho de amostra foi determinado considerando-se a necessidade de 10 a 20 criancas para cada variavel incluida no modelo de regressao. A analise estatistica foi realizada no Programa SPSS for Win/v.17.0 e o nivel de significancia estatistica foi fixado em p<0,05. Resultados: O grupo prematuro foi constituido por 65 lactentes (peso ao nascer: 1184±215g;idade gestacional: 30,0±2,2 semanas) e o grupo Termo por 56 lactentes (peso de nascimento: 3246±285g; idade gestacional: 39,0±1,0 semanas). Apos a vacinacao, a porcentagem de individuos com imunidade contra sarampo (100% vs. 100%) e varicela (92,5% vs. 93,2%, p=1,000) foi semelhante nos dois grupos, da mesma forma que os niveis de anticorpos pos-vacinacao contra sarampo (2,393 vs. 2,412UI/mL; p=0,970) e varicela (0,551 vs. 0,399UI/mL; p=0,114). Em relacao a imunidade celular, nos lactentes nascidos prematuros, a porcentagem de celulas T CD4+ e T CD8+ produtoras de interferon-gama apos estimulacao com fitohemaglutinina foi menor aos 12 meses, comparados a 15 e 18 meses de idade, ao contrario dos nascidos a termo que mantiveram valores semelhantes nas tres avaliacoes. A mediana das porcentagens de T CD4+ e T CD8+ apos estimulacao com fitohemaglutinina foi semelhante nos dois grupos, exceto pela porcentagem de T CD4+ aos 15 meses que foi maior nos prematuros (5,590 vs. 2,790%; p=0,034). As porcentagens de celulas T CD4+ e T CD8+ produtoras de interferon-gama apos estimulacao pelo antigeno do sarampo pre (12 meses) e pos-vacinacao (15 meses) foram semelhante em ambos os grupos, exceto pela porcentagem de celulas T CD8+ pos-vacinacao contra sarampo que foi menor nos prematuros (0,780 vs. 1,930; p=0,020). A analise de regressao linear mostrou que o uso de corticosteroide antenatal diminuiu o nivel de anticorpos contra sarampo em -3,436UI/mL (p=0,009) e cada semana a mais na idade gestacional diminuiu em -0,240UI/mL (p=0,049). Ja o aleitamento materno por mais de seis meses aumentou o nivel de anticorpos contra varicela em 0,388UI/mL (p=0,023) e cada semana a mais na idade gestacional, diminuiu o nivel de anticorpos contra varicela em -0,039UI/mL (p=0,027). Conclusoes: A resposta imune humoral contra sarampo e varicela foi similar em lactentes nascidos prematuros e a termo. A resposta imune celular a fitohemaglutinina foi menor aos 12 meses de idade, comparada aos 15 e 18 meses, nos lactentes nascidos prematuros. A resposta imune celular contra sarampo e varicela foi semelhante nos dois grupos, exceto pela porcentagem das celulas T CD8+ que foi menor nos prematuros apos vacinacao contra sarampo. O aleitamento materno associou-se a maior nivel de anticorpos contra varicela aos 18 meses e o uso antenatal de corticosteroides associou-se a menor concentracao de anticorpos contra sarampo aos 15 meses. A maior idade gestacional associou-se a diminuicao dos titulos de anticorpos pos-vacinacao contra varicela e sarampo
Palavra-chave Criança
Prematuro
Vacinação
Sarampo
Varicela
Imunidade Humoral
Imunidade Celular
Criança
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 113 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 113 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21896

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta