Necessidade de procedimentos de reanimacao ao nascer em conceptos portadores de mielomeningocele

Necessidade de procedimentos de reanimacao ao nascer em conceptos portadores de mielomeningocele

Título alternativo Need of resuscitation procedures at birth in neonates wirh meningomyelocele
Autor Neves, Simone Aparecida Basso da Silva Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A mielomeningocele (MMC) e um disrafismo espinal aberto, com protrusao das meninges e medula espinal atraves dos arcos vertebrais e exposicao das raizes nervosas ao ambiente intra-uterino, gerando lesao secundaria do tecido exposto por trauma ou acao do liquido amniotico durante a gestacao. O defeito geralmente ocorre por falha no fechamento do tubo neural, em torno da 3ª-4a semanas de vida embrionaria; a etiologia nao esta totalmente esclarecida. E o defeito de fechamento do tubo neural mais comum compativel com a vida. No mundo, ocorre em 0,17 a 6,39/1000 nascidos vivos. Ao nascimento, o concepto portador de MMC apresenta, em tese, risco maior de apresentar dificuldades na transicao da vida intra-uterina para extra-uterina e de necessitar de manobras de reanimacao. Objetivo: avaliar, ao nascimento, a necessidade de procedimentos de reanimacao neonatal em RN com e sem MMC. Metodos: estudo retrospectivo caso-controle de nascidos vivos no Hospital São Paulo de janeiro 2001 a dezembro 2010. RN classificados em: MMC (disrafismo espinhal aberto e exposicao do tecido nervoso) e Controle (sem malformacoes, pareado por sexo, parto, idade gestacional - IG e data de nascimento). Coletados dados demograficos maternos e neonatais. Desfechos principais: VPP ao nascer; necessidade de intubacao traqueal (IOT) e boletim de Apgar <7 com 1 minuto. Analise por regressao logistica para os desfechos primarios, incluindo-se no modelo inicial as variaveis com p<0,10. Resultados: Nos 10 anos, nasceram 94 RN com MMC, pareados a 94 controles. Caracteristicas maternas (MMC vs. Controles): idade 27±6 vs. 30±2 (p=0,012); primigesta 34 vs. 36%, >6 consultas pre-natal 64 vs. 86% (p=0,001), hipertensao 4 vs. 14% (p=0,020); parto cesarea 98 vs. 98%; apresentacao cefalica 82 vs. 90%; raquianestesia 98 vs. 97%; parto diurno 79 vs. 63%. Caracteristicas neonatais: IG <37 semanas 28 vs. 16% (p=0,052); peso <2500g 21 vs. 13%; perimetro cefalico 34±3 vs. 34±2cm; PIG 15 vs. 4% (p=0,012); masculino 50 vs. 50%; necessidade de VPP ao nascer 31 vs. 7% (p<0,001), IOT 14 vs. 4% (p=0,02), Apgar <7 com 1min. 20 vs. 6% (p=0,005), Apgar <7 com 5min. 5 vs. 2%. Ajustado para pre-natal, hipertensao materna, liquido meconial, nascimento diurno, IG e PIG, a MMC aumentou o risco ao nascer de VPP (OR 4,55; IC95% 1,82-11,41), IOT (OR 3,94; 1,14-13,59) e Apgar de 1 minuto <7 (OR 2,73; 0,99-7,57). Conclusao: RN portadores de MMC apresentam mais dificuldade na transicao da vida intra-uterina para a extra-uterina, com chance ao redor de quatro vezes superior, comparados a neonatos sem a malformacao, de necessitar de ventilacao com pressao positiva e intubacao traqueal ao nascimento, resultando em 2,7 vezes mais risco de portar um Boletim de Apgar de primeiro minuto inferior a sete, apos ajuste para possiveis variaveis de confusao. Deste modo devem ser atendidos, ao nascer, por equipe neonatal especializada, apta a ventilar e intubar sem apoiar o dorso do paciente na mesa de reanimacao. O treinamento da equipe neonatal que recepciona RN com MMC em procedimentos de reanimacao, e importante para nao piorar o prognostico neurologico dos pacientes
Palavra-chave Humanos
Recém-Nascido
Ressuscitação Cardiopulmonar
Meningomielocele
Humanos
Recém-Nascido
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 71 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 71 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21882

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta