Anemia na insuficiência renal aguda com necessidade de terapia renal de substituição: níveis séricos de Fas solúvel, eritropoetina e citocinas inflamatórias

Anemia na insuficiência renal aguda com necessidade de terapia renal de substituição: níveis séricos de Fas solúvel, eritropoetina e citocinas inflamatórias

Título alternativo Serum soluble-Fas, Inflammation and Anemia in Acute Kidney Injury
Autor Goes Junior, Miguel Angelo de Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Cendoroglo Neto, Miguel Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: Anemia é muito comum ocorrer no paciente gravemente enfermo (PGE) com ou sem insuficiência renal aguda (IRA). Os níveis séricos do Fas solúvel (sFas) estão associados com anemia e baixa resposta à eritropoietina (Epo) no paciente com doença renal crônica. Assim, é possível que os níveis séricos de sFas estejam associados com anemia e maior necessidade de níveis séricos de Epo no PGE portador de IRA para manter adequados os níveis de hemoglobina (Hb). Objetivo: Investigar a relação entre os níveis séricos de sFas, Epo, citocinas inflamatórias e os níveis de Hb em PGE com IRA. Métodos: Estudamos 72 PGE com IRA (grupo IRA; n = 53) ou sem IRA (grupo sem IRA; n = 19) e 18 voluntários saudáveis (grupo Contr). Investigamos as relações entre a concentração Hb e os níveis séricos de sFas, Epo, TNF-alfa, IL-6, IL-10 e perfil de ferro (saturação de transferrina, ferro sérico e ferritina) no grupo IRA. Resultados: Os PGEs (grupos IRA e sem IRA) apresentaram maiores níveis séricos de Epo e ferritina (p < 0,001). A concentração de Hb foi menor no grupo IRA (p < 0,001) do que nos outros grupos. Os níveis séricos de IL-6 e IL-10 foram maiores nos grupo IRA e sem IRA do que no grupo Contr (p < 0,001). Os níveis séricos de sFas e TNF-alfa foram maiores no grupo IRA (p < 0,001). Observamos correlações negativas entre a concentração de Hb com os níveis séricos de IL-6 (r = -0,37; p = 0,008), de sFas (r = -0,35; p = 0,01) e de Epo (r = -0,27; p = 0,04) no grupo IRA. No mesmo grupo observamos que os níveis séricos de sFas apresentaram correlação positiva com os níveis séricos de IL-6 (r = 0,28; p = 0,04) e com os níveis de ferro sérico (r = 0,36; p = 0,008). Na análise multivariada, após ajustes para IL-6, TNF-alfa, Epo e ferritina, somente os níveis séricos de sFas (p = 0,03) apresentaram correlação negativa com os níveis de Hb no grupo IRA. Conclusão: Nossos achados demonstram que os níveis séricos de Epo, de citocinas inflamatórias e sFas estão elevados nos PGEs. As concentrações de Hb foram menores, enquanto que os níveis séricos de sFas foram maiores nos PGEs com IRA. A associação independente entre os níveis séricos de sFas com a concentração de Hb sugere que os níveis séricos de sFas possa ser um marcador de anemia nestes pacientes, ou ainda que possa participar de seu processo fisiopatológico. Assim, são necessários mais estudos para entender o papel do sFas no contexto da anemia do paciente portador de IRA.
Palavra-chave Humanos
Anemia
Citocinas
Eritropoetina
Insuficiência renal
Doença aguda
Idioma Português
Data de publicação 2011
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2011. 79 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 79 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21858

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta