Estudo de paralisias faciais traumáticas: análise de casos clínicos e cirúrgicos

Estudo de paralisias faciais traumáticas: análise de casos clínicos e cirúrgicos

Título alternativo Traumatic facial paralysis's study: clinical and surgical review
Autor Pinna, Bruno R. Autor UNIFESP Google Scholar
Testa, Jose Ricardo Gurgel Autor UNIFESP Google Scholar
Fukuda, Yotaka Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Traumatic facial paralysis is the second more common cause of facial impairment. STUDY DESIGN: Chart review. MATERIAL AND METHOD: A retrospective review of 82 patients with facial paralysis was conducted from January 1990 to January 1999. RESULTS: From this group 54 were males (65.8%) and 28 females (34.2%), patients' age ranged from 2 to 75 years (mean age 30.9 y). The kind of trauma was iatrogenic in 15 (18.22%); penetrating injuries into the face in 2 (2.44%); temporal bone fractures in 50 (60.97%); gunshot injuries in 14 (17.07%) and birth injury in 1 (1.22%). There were 71 sudden paralysis (86.5%), 10 progressive paralysis (12.3%) and 1 at birth (1.22%). The beginning electrical tests were symmetrical in 32 (43.84%) and with markedly decreased response in 41 (56.16%). The symmetrical ones had complete recovery in 24, 80% of recovery in 6 and 60% of recovery in 2; the asymmetrical ones with decreased response, only 5 recoveries completely. CONCLUSION: 1. There was greater male incidence; 2. There were more sudden paralysis and they recovered better than the progressives; 3. There were more patients with temporal trauma with fractures and they recovery better than the others; 4. The electrical tests could give the prognoses to the facial paralysis patient; 5. The worst cases of facial paralysis received more aggressive treatment, with good results.

As paralisias faciais traumáticas são a segunda causa mais freqüente de Paralisia Facial Periférica, ficando somente atrás dos casos ditos idiopáticos. FORMA DE ESTUDO: Clínico retrospectivo. MATERIAL E MÉTODO: Foram estudados retrospectivamente 82 pacientes atendidos no período de janeiro de 1990 a janeiro de 1999 no ambulatório de ORL da Escola Paulista de Medicina. RESULTADO: Deste grupo 54, eram do sexo masculino (65.8%) e 28 do sexo feminino (34.2%). A idade média foi de 30.9 anos (variando de 2 a 75 anos). Quanto ao tipo de trauma, obtivemos: 15 (18.22%) iatrogênicos, 2 (2.44%) por ferimentos cortantes da face, 50 (60.97%) pós-traumas crânio-encefálicos, 14 (17.07%) ferimentos por projéteis de arma de fogo e 1 (1.22%) ao nascimento. Quanto ao tipo de aparecimento, observamos: 71 (86.5%) de início súbito, 10 (12.3%) progressivos e 1 (1.2%) ao nascimento. Quanto aos testes elétricos iniciais, observamos: 32 (43.84%) com exames que foram simétricos e 41 (56.16%) com exames inescitáveis. Dos 32 casos com simetria, observamos 24 com recuperação total, 6 com 80% de recuperação e 2 com 60%; já nos casos inexcitáveis, dos 41 casos apenas 5 evoluíram para a recuperação total. CONCLUSÃO: Frente aos resultados concluímos que: 1. Houve predomínio da incidência no sexo masculino; 2. Houve predomínio dos casos súbitos e estes evoluíram proporcionalmente melhor que os progressivos; 3. Houve predomínio dos casos de etiologia por TCE e estes evoluíram proporcionalmente melhor que as outras etiologias; 4. Os testes elétricos realizados puderam prever com bom grau de acerto a evolução dos pacientes; 5. O tipo de tratamento realizado foi proporcionalmente mais agressivo quanto mais intensa era a paralisia, com bons resultados.
Palavra-chave facial paralysis
trauma
paralisia facial
trauma
Idioma Português
Data de publicação 2004-08-01
Publicado em Revista Brasileira de Otorrinolaringologia. ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial, v. 70, n. 4, p. 479-482, 2004.
ISSN 0034-7299 (Sherpa/Romeo)
Publicador ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Extensão 479-482
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0034-72992004000400007
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0034-72992004000400007 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/2181

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0034-72992004000400007.pdf
Tamanho: 86.11KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta