Analise do perfil proteomico do plasma seminal de pacientes com lesao medular

Analise do perfil proteomico do plasma seminal de pacientes com lesao medular

Título alternativo Seminal plasma protein profile in spinal cord injured men
Autor Silva, Barbara Ferreira da Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: A lesao de medula espinhal e fator limitante na fertilidade masculina, resultando em alteracoes tanto na funcao ejaculatoria quanto na qualidade seminal. Frequentemente, grande parte dos homens com lesao medular recorre aos metodos que estimulam a ejaculacao com o objetivo principal de obter semen para utilizacao em tecnicas de reproducao assistida. Contudo, as causas que levam a baixa qualidade seminal nesses pacientes ainda nao foram elucidadas. Objetivos: Tracar o perfil proteico do plasma seminal de individuos sem lesao medular (incluidos como grupo controle)e de pacientes com lesao medular submetidos a duas diferentes tecnicas de ejaculacao assistida (eletroejaculacao [EEJ] e estimulacao vibratoria peniana [EVP]). Estabelecer e estudar mapas de interacao proteina-proteina (interactoma), construidos a partir dos perfis proteicos obtidos e compara-los entre os grupos.Estudar os interactomas do ponto de vista de enriquecimento funcional para as categorias de Gene Ontology (GO). Metodo:As amostras seminais de 10 homens sem lesao medular e 12 pacientes com lesao medular (6 submetidos a EEJ e 6 submetidos a EVP) foram obtidas e analisadas de acordo com os parametros da OMS (1999) e morfologia segundo criterio estrito de Kruger(1986).O perfil proteico do plasma seminal foi analisado por duas abordagens proteomicas independentes: MSE e eletroforese bidimensional em gel poliacrilamida (2D SDS-PAGE). Primeiramente foi feita a quantificacao das proteinas totais em cada amostra e um pool representativo de cada grupo (controle, EEJ e EVP) foi formado. As proteinas foram solubilizadas, alquiladas e enzimaticamente digeridas para o experimento de nanoUPLC tandem nanoESI- MSE.Para o experimento de 2D SDS-PAGE, as proteinas foram quantificadas e, para uma analise individual, um gel por paciente foi corrido. As proteinas foram separadas em uma fita de 18cm, pI 3-10, em gel de gradiente 10-17.5%. Os geis foram corados, digitalizados e comparados atraves do ImageMaster 2D platinum 7.0. Os spots de interesse (estatisticamente diferentes entre os grupos) foram retirados dos geis e as proteinas foram identificadas atraves do espectrometro de massas ESI-Q-ToF MS/MS. Os resultados obtidos pelas duas abordagens proteomicas foram apresentados sob a forma de lista de proteinas identificadas a partir das quais foram construidas as redes de interacoes proteicas com 0 grau de interacao utilizando-se o software Cytoscape. Posteriormente, para o estudo e a caracterizacao das anotacoes funcionais mais representadas de GO o plugin BinGO foi utilizado. Resultados: Como resultado da tecnica de MSE, um total de 638 diferentes proteinas foram identificadas, as quais dividiram-se em: 397 proteinas comuns aos tres grupos, 52 proteinas comuns aos tres grupos, mas diferencialmente expressas, 35 proteinas exclusivas do grupo controle, 66 proteinas exclusivas do grupo EEJ e 88 proteinas exclusivas do grupo EVP. Por outro lado, um total de 84 diferentes proteinas foram identificadas pela eletroforese bidimensional de proteinas seguida por MS/MS. Desse total, 48 proteinas mostraram-se comuns aos tres grupos, 3 exclusivas nos grupos controle e EEJ, 8 exclusivas nos grupos controle e EVP, 8 exclusivas nos grupos EEJ e EVP,3 exclusivas no grupo controle, 11 exclusivas no grupo EEJ e 3 exclusivas no grupo EVP. A analise no Cytoscape revelou que processos reprodutivos centrais,como inseminacao, fusao da membrana espermatica com o oocito e reacao acrossomica, estao relacionados aos tres grupos; resposta inflamatoria de fase aguda e resposta frente a estimulos desencadeados por trigliceridios, estao relacionadas aos tres grupos; processos relacionados a actina como o funcionamento da musculatura esqueletica, ligacao a componentes do citoesqueleto e resposta ao ion calcio, estao relacionados apenas aos grupos EEJ e EVP;processos ligados a homeostase, transporte e oxidacao do ion ferro, estao relacionados apenas aos grupos EEJ e EVP;resposta direta a peroxido de hidrogenio e hipoxia, esta relacionada apenas ao grupo EVP;resposta imune acentuada, relacionada a imunidade humoral, hipersensibilidade do tipo IIa e ativacao do sistema complemento, esta relacionada apenas ao grupo EVP. Conclusoes:A expressao de proteinas, no plasma seminal mostrou-se diferente entre os grupos; a lesao medular promove alteracoes no perfil proteico do plasma seminal; as diferencas funcionais observadas entre os grupos EEJ e EVP parecem nao estar relacionadas as tecnicas de ejaculacao assistida;algumas proteinas identificadas podem ser candidatas a biomarcadores de fertilidade ou infertilidade masculina
Palavra-chave Traumatismos da Medula Espinal
Sêmen
Análise do Sêmen
Marcadores Biológicos
Proteoma
Idioma Português
Data de publicação 2010
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2010. 190 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 190 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21787

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta