Efeitos da melatonina na expressão gênica ovariana em ratas submetidas à pinealectomia

Efeitos da melatonina na expressão gênica ovariana em ratas submetidas à pinealectomia

Título alternativo Effects of melatonin on the ovarian gene expression in pinealectomized rats
Autor Maganhin, Carla Cristina Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Soares Júnior, José Maria Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Este estudo pretende identificar os genes alvo da melatonina no tecido ovariano de ratas adultas pinealectomizadas. Material e Métodos: Foram estudadas 32 ratas (Rattus norvegicus albinus), adultas virgens, procedentes do Biotério da UNIFESP – EPM. Após confirmação da ciclicidade estral, os animais foram divididos em dois grupos: GI- pinealectomizado recebeu veículo; GII - pinealectomizado com reposição de melatonina (10 μg/noite/rato), durante 60 dias consecutivos. Ao final da ministração, todos os animais foram anestesiados e os ovários coletados foram colocados imediatamente em nitrogênio líquido por meia hora e em seguida congelado a - 80°C para análise das amostras por cDNA “microarray”. Para a determinação da expressão dos diferentes genes, foi utilizado o Kit GeneChip® Rat Genome 230 2.0 Array da Affymetrix, de acordo com as especificações do fornecedor, repetindo-se o experimento três vezes para cada grupo. Os dados obtidos foram normalizados e submetidos ao programa GeneChip® Operating Software. Posteriormente, confirmados pelo software de análise secundária do DNA-Chip Analyzer (dChip). Foram considerados como significantes quando estava 1,5x aumentados (hiperexpressos) ou diminuídos (hipoexpressos) em relação ao veículo. Além disso, foram escolhidos genes relacionados com a função ovariana que foram confirmados pela técnica de RT-PCR. Resultados: Nossos dados mostraram que GII (tratado com melatonina) teve 101 genes hiperexpressos e 72 hipoexpressos em comparação ao GI (recebeu melatonina). Em relação à esteroidogênese e de significância estatística, os genes hiperexpressos: inibina beta-A (INHBA), folistatina (FST), Abl-Interactor 1 e, hipoexpressos: Sintetase da prostaglandina D2 (Brain), LIM Homeobox 9, Glutathiona S-Transferase Mu 3. No RT-PCR, confirmamos os resultados da inibina e da folistatina que estão relacionados com a função ovariana. Conclusão: Nossos dados sugerem que melatonina poderia interferir na expressão gênica nos ovários de ratas pinealectomizadas, principalmente na hiperexpressão da inibina e da folistatina.
Palavra-chave Melatonina
Glândula pineal/cirurgia
Ovário
Expressão gênica
Ratos
Feminino
Animais
Idioma Português
Data de publicação 2011
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2011. 191 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 191 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21737

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta