Análise da resistência primaria ao antirretroviral etravirina em indivíduos infectados pelo vírus da imunodeficiência humana tipo 1 (HIV-1) na Baixada Santista

Análise da resistência primaria ao antirretroviral etravirina em indivíduos infectados pelo vírus da imunodeficiência humana tipo 1 (HIV-1) na Baixada Santista

Título alternativo Analysis of primary resistance to antiretroviral Etravirine in individuals infected with human immunodeficiency virus type 1 (HIV-1) in Baixada Santista
Autor Carmo, Eliane Pereira do Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Komninakis, Shirley Vasconcelos Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Etravirina (ETV) e um NNRTI de segunda geracao e nao apresenta resistencia cruzada a outros antirretrovirais (ARV)da mesma classe de drogas. A presenca de mutacoes de resistencia primaria ao ETV pode interferir na sua susceptibilidade. Apesar disso, pode ser usado como terapia de resgate de pacientes HIV multifalidos apresentando queda da carga viral com alto perfil de seguranca. Objetivo:analisar a presenca de mutacoes de resistencia primaria ao Etravirina em individuos HIV positivos. Metodologia: 44 amostras da Baixada Santista foram avaliadas no periodo de 2009 a 2010. A sequencia genetica do virus foi extraida utilizando QIAamp blood and viral Kit (Qiagen u California).Foi amplificado a regiao da RT utilizando primers especificos. O sequenciamento foi realizado utilizando o Kit V3 BigDye ® Terminator. As sequencias foram editadas e analisadas utilizando o Programa Sequencher (Gene Code - Miami) e o Bioedit (Carlsbad, California). A Subtipagem foi realizada utilizando o site da Universidade de Stanford.Resistencia primaria na TR foi avaliada de acordo com os projetos DUET 1 e 2.Resultados: 86,4% das amostras foram provenientes da cidade de Santos, 6,8% da Praia Grande, 4,5% de Sao Vicente e 2,3% do Guaruja. 50% dos pacientes eram homens. A mediana da CV foi de 26.920 copias/mL (1785 u 380580) e a media de CD4 foi de 302 mm3/mL (10 u 1211).45,5% dos pacientes estavam com o esquema de tratamento na hora da genotipagem de 2 NRTI + 2 IP e 27,3% estavam com 2 NRTI + 1 NNRTI.Dois pacientes (4,4%) nao estavam utilizando medicamento. 68,3% das amostras sao subtipos B, 29,3% F/B e 2,4% B/F. 24% das amostras possuiam mutacao K103N. Em 13 sequencias foram encontradas 31,7% de RAMs ao ETV, entre elas: 4,9% de V90I, 4,9% de A98G, 2,4% de L100I, 2,4% de K101E, 2,4% de K101H, 12,2% de V106I, 4,9% de Y181C e 9,8% de G190A. 3/44 amostras nao foi possivel analisar a sequencia. Conclusao: Apesar da elevada porcentagem de pacientes com mutacoes de resistencia aos outros NNRTI,4,4% apresentaram mutacoes de resistencia primaria conferindo baixa susceptibilidade e 2,2% uma resposta intermediaria com o uso do ETV. Concluimos que o ETV pode ser usado no tratamento de VIII resgate de pacientes com resistencia a outros NNRTI. Entretanto a genotipagem devera ser realizada antes do inicio do tratamento para um melhor gerenciamento do custo-beneficio
Palavra-chave HIV-1
Antirretrovirais
Resistência a medicamentos
Mutação
Idioma Português
Data de publicação 2011
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2011. 65 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 65 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21727

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta