Incidencia e fatores preditivos da progressao do espasmo difuso do esofago para acalasia idiopatica

Incidencia e fatores preditivos da progressao do espasmo difuso do esofago para acalasia idiopatica

Título alternativo Incidence and predictive factors of progression of diffuse esophageal spasm to achalasia
Autor Fontes, Luiz Henrique de Souza Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: O espasmo difuso do esofago e a acalasia sao disturbios motores primarios, que apresentam caracteristicas clinicas e manometricas distintas. Alguns estudos sugerem que certos disturbios motores do esofago podem progredir para acalasia, como e o caso do espasmo difuso do esofago; entretanto, apesar dessas evidencias, existem poucas informacoes sobre a incidencia e os fatores preditivos relacionados a esse fato. Objetivo: Avaliar a incidencia e os fatores preditivos da progressao para acalasia nos portadores de espasmo difuso do esofago. Metodo: Estudo do tipo coorte, observacional, em pacientes com diagnostico manometrico de espasmo difuso do esofago. Ofereceu-se a repeticao da manometria esofagica a esses pacientes, com no minimo um ano apos ser estabelecido diagnostico de espasmo difuso do esofago, para determinar a incidencia da progressao para acalasia e seus fatores preditivos. Os exames manometricos e de pHmetria foram realizados pela mesma tecnica e pelo mesmo examinador. Os seguintes criterios de inclusao fora utilizados, com base nos achados manometricos: espasmo difuso u contracoes simultaneas (aperistalticas) no corpo esofagiano, em mais de 20% das degluticoes umidas, com amplitude > 30 mmHg, e intercaladas com ondas peristalticas. Foram excluidos os casos associados a doenca do refluxo gastroesofagico, algumas doencas sistemicas (colagenoses, amiloidose, diabetes, alcoolismo e a doenca de Chagas) e idade acima de 70 anos. Foram aplicados os testes estatisticos de Wilcoxon, de Mann-Whitney e de igualdade de duas proporcoes. Foi realizado tambem o intervalo de confianca para a media. Em todos os testes fixou-se o nivel de significancia em 0,05 ou 5%. Dos 46 eleitos para o estudo, 11 (23,9%) nao participaram e 35 (76,1%) repetiram o exame manometrico do esofago. A idade variou de 19 anos a 69 anos (media de 53,5 anos), sendo 28 (80%) desses pacientes do sexo feminino. Resultados: Progrediram para acalasia cinco (14,28%) dos 35 pacientes acompanhados. Ao exame manometrico desses pacientes foram observadas 100% de ondas simultaneas, com relaxamento incompleto do esfincter inferior do esofago em 4 (80%). O tempo medio de seguimento desses pacientes foi de 2,1 anos (1 ano a 4 anos). O exame manometrico foi normalizado em 4 (11,43%) pacientes, com 20% ou menos de ondas simultaneas. Conclusoes: Neste estudo foi possivel determinar que a incidencia da progressao do espasmo difuso do esofago para acalasia foi de 14,28%. E que a disfagia e a amplitude media das ondas simultaneas < 50 mmHg sao fatores preditivos significantes nos pacientes que progrediram para acalasia
Palavra-chave Manometria
Doenças do Esôfago
Acalasia Esofágica
Espasmo Esofágico Difuso
Progressão da Doença
Idioma Português
Data de publicação 2011
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2011. 87 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 87 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21589

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta