Exame otorrinolaringológico sistemático como indicador da apneia obstrutiva do sono em obeso classe III

Exame otorrinolaringológico sistemático como indicador da apneia obstrutiva do sono em obeso classe III

Título alternativo Systematic otolaryngological exam as a predictor of obstructive sleep apnea in class III obeses
Autor Tangerina, Rodrigo de Paiva Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Bittencourt, Lia Rita Azeredo Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Medicina (otorrinolaringologia) - São Paulo
Resumo A associação entre a Síndrome da Apnéia e Hipopnéia Obstrutiva do Sono e a obesidade vem sendo observada desde as primeiras publicações a respeito da doença. Com o melhor entendimento da fisiopatologia e co-morbidades relacionadas à apnéia, técnicas para um diagnóstico precoce dessa síndrome tem sido objeto de estudo de vários pesquisadores. O exame físico otorrinolaringológico tem sido proposto como um preditor da apnéia obstrutiva do sono, porém existe a necessidade de distinguir quais alterações observadas nesse exame são relacionadas à apnéia e quais estariam relacionadas exclusivamente à presença da obesidade. O objetivo desse trabalho é avaliar clinicamente, através do exame físico otorrinolaringológico sistemático, pacientes portadores de obesidade classe III buscando identificar as alterações morfológicas associadas à presença e gravidade da SAHOS nesse grupo de pacientes. Foram estudados 45 pacientes consecutivos com índice de massa corpórea maior ou igual a 40kg/m² provenientes do ambulatório de cirurgia bariátrica da UNIFESP-EPM. Todos os indivíduos foram submetidos a anamnese dirigida, exame otorrinolaringológico e polissonografia, e os resultados foram comparados entre indivíduos com e sem apnéia e entre sujeitos com diferentes graus de apnéia. Resultados: 68,9% dos indivíduos foram mulheres e 31,1% homens. A idade média foi 46,5 ± 10,8 anos, o índice de massa corpórea médio foi 49 ± 7 Kg/m2 e a circunferência cervical média foi 43,4 ± 5,1 cm. Todos os pacientes apresentavam ronco habitual e 48,9% referiam sonolência diurna excessiva. O índice de apnéia/hipopnéia mostrou-se normal em 22,2% dos casos e alterado em 77,8% dos indivíduos. A média do índice de apnéia/hipopnéia foi de 30,8 ± 31,9 eventos por hora de sono, e a média da saturação mínima de oxigênio foi 75,6% ± 9,7%. Comparando-se o grupo com apnéia e o sem apnéia foi observado que as características relacionadas à presença da SAHOS foram: idade mais jovem (p=0,02), maior circunferência cervical (p=0,004), presença de pilares amigdalianos medianizados (p=0,0002), palato mole X posteriorizado (p=0,0053), palato mole espesso (p=0,0014), úvula longa (p=0,04), e espessa (p=0,0052) e hipertrofia de conchas nasais inferiores (p=0,04). Os achados relacionados à gravidade da SAHOS foram maior circunferência cervical (p=0,02), presença de pilares amigdalianos medianizados (p=0,04), palato mole posteriorizado (p=0,03), e espesso (p=0,04). A hipertrofia das tonsilas palatinas e o índice de Mallampati modificado não apresentaram correlação estatisticamente significante com a presença nem com a gravidade da SAHOS. Concluímos que a prevalência da apnéia obstrutiva do sono é alta nesse grupo de pacientes confirmando a correlação entre apnéia e obesidade. A circunferência cervical aumentada é um indicador da presença e gravidade da síndrome. Alterações nos tecidos moles da faringe também são relacionadas à presença e gravidade da apnéia, mas não as alterações do esqueleto facial neste grupo de pacientes.

The association between sleep apnea/hipopnea syndrome and obesity have been observed since the first publications conserning the theme. With the better understanding of pathophisiology and comorbidities associated with apnea, techniques for an early diagnostic have been studied by several authors. The otolaryngological physical exam has been proposed as a predictor of presence and severity of apnea, but it is necessary to distinguish the alterations related to apnea from that related to obesity itself. The purpose of this study is to evaluate patients with obesity class III by the otolaryngological exam seeking morphologic changes associated with the presence and severity of obstructive sleep apnea into this group. We studied 45 consecutives patients with body mass index of 40kg/m² or more from the bariatric surgery ambulatory of UNIFES-EPM. An anamnesis was taken and the otolaryngological exam and polisomnography were performed for all subjects. The results were compared between the group of individuals with and without apnea and among the various levels of apnea severity. Results: 68,9% of subjects were female and 31,1% were male. The mean age was 46,5 ± 10,8 years, the mean BMI was 49 ± 7 Kg/m2 and the mean neck circumference was 43,4 ± 5,1 cm. All patients were habitual snores and 48,9% had daily hypersomnolence. Polysomnographyc findings showed that 22,2% had normal apneahypopnea index (AHI) and 77,8% had AHI over 5, with a mean of 30,8 ± 31,9, and the minimum oxihemoglobin saturation had a mean of 75,6% ± 9,7%. The findings that have association with de OSAHS presence were: younger age (p=0,02), biggest neck circumference (p=0,004), presence of medialized tonsillar pillars (p=0,0002), posteriorized soft palate in relation to oropharynx (p=0,0053), thick soft palate (p=0,0014), long uvula (p=0,04), thick uvula (p=0,0052) and inferior turbinate hypertrophy (p=0,04). The findings that have association with OSAHS severity were: higher neck circumference (p=0,02), 51 presence of medialized tonsillar pillars (p=0,04), posteriorized soft palate (p=0,03), thick soft palate (p=0,04). Conclusion: The OSAHS prevalence in this group of obese subjects was higher, confirming the existent correlation between obesity and OSAHS and the higher neck circumference was a presence and severity OSAHS marker. Soft tissue abnormalities of upper airway were related to presence and severity of obstructive sleep apnea, however alterations of facial skeleton were not, for this group of class III obese patients.
Palavra-chave Apneia do Sono Tipo Obstrutiva
Exame Físico
Obesidade Mórbida
Técnicas e Procedimentos Diagnósticos
Idioma Português
Financiador Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Data de publicação 2006
Publicado em TANGERINA, Rodrigo de Paiva.Exame otorrinolaringológico sistemático como indicador da apneia obstrutiva do sono em obeso classe III. 2006. 57 p. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2006.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 57 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21568

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-21568.pdf
Tamanho: 1.928MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta