Comparação entre as terminologias padronizadas por Baden e Walker e pela ICS para o prolapso pélvico feminino

Comparação entre as terminologias padronizadas por Baden e Walker e pela ICS para o prolapso pélvico feminino

Título alternativo Comparison between Baden and Walker classification systems and ICS standardization of terminology of female pelvic organ prolapse
Autor Bezerra, Leonardo Robson Pinheiro Sobreira Autor UNIFESP Google Scholar
Oliveira, Emerson de Autor UNIFESP Google Scholar
Bortolini, Maria Augusta Tezelli Autor UNIFESP Google Scholar
Hamerski, Maria Gorete Autor UNIFESP Google Scholar
Baracat, Edmund Chada Autor UNIFESP Google Scholar
Sartori, Marair Gracio Ferreira Autor UNIFESP Google Scholar
Girão, Manoel João Batista Castello Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: to compare Baden and Walker's (BW) classification system to the International Continence Society (ICS) standardization of terminology of female pelvic organ prolapse. METHODS: information about urogynecological investigation on 101 women, performed by the Urogynecology and Vaginal Surgery Sector of UNIFESP/EPM, was retrospectively analyzed. Only patients who had undergone the standard ICS exam which quantifies the pelvic prolapse were selected. According to ICS, the prolapse is analyzed through a standard reference system relating the hymen to the anatomic position of six vaginal points: two in the anterior vaginal wall, two in the vaginal apex and other two in the posterior vaginal wall. The maximum amount of pelvic organ prolapse was viewed and recorded during a Valsalva's maneuver. The measurement of the most distal point of the prolapse was performed and it was compared to the BW classification system. The data were analyzed by kappa statistics, to assess the concordance between the two terminologies. RESULTS: There was total correspondence only for the posterior vaginal prolapse stage IV (one patient) and for the uterus prolapse stage 0 (29 patients) with severe rectocele and absence of prolapse, respectively, according to BW. In the three types of prolapses evaluated, the values of kappa statistics were below 0.4, indicating a weak concordance between the two terminologies. There is an extensive variation in the measurement of the most distal point of prolapse when the BW classification is perfomed. CONCLUSIONS: there is a weak concordance between the BW classification system and the ICS standardization of terminology of female pelvic organ prolapse.

OBJETIVO: comparar a classificação de Baden e Walker (BW) para o prolapso pélvico feminino e a preconizada pela Sociedade Internacional de Continência (ICS). MÉTODOS: em trabalho retrospectivo foram analisadas as informações sobre 101 pacientes atendidas no setor de Uroginecologia e Cirurgia Vaginal do Departamento de Ginecologia da UNIFESP/EPM durante investigação uroginecológica. As pacientes foram selecionadas a partir da revisão do prontuário médico, onde foram identificadas aquelas que submeteram-se a exame padronizado pela ICS a fim de quantificar o prolapso pélvico feminino. Conforme preconiza a ICS, o prolapso foi analisado por um sistema padrão de referência que relaciona a carúncula himenal (ponto fixo) à posição anatômica de seis pontos definidos: 2 na parede vaginal anterior, 2 no ápice vaginal e 2 na parede vaginal posterior. A máxima protrusão do prolapso foi visualizada e registrada durante a manobra de Valsalva solicitada à paciente. Realizou-se a medida do ponto mais externo do prolapso (pontos Ba, Bp e C) comparando-o com a classificação de BW. A medida adotada para avaliar a concordância entre as duas terminologias foi a estatística kappa. RESULTADOS: observou-se correspondência de 100% somente para o prolapso de parede vaginal posterior estádio IV (1 paciente) e para o prolapso uterino estádio zero (29 pacientes), segundo Baden e Walker, com retocele severa e ausência de prolapso, respectivamente. Para os três tipos de prolapsos examinados, os valores da estatística kappa estavam abaixo de 0,4, indicando fraca concordância entre as duas terminologias. Concluímos que existe uma ampla variação nas medidas do ponto mais externo do prolapso ao se realizar a classificação de BW. Para um determinado grau de prolapso na classificação de BW encontramos mais de um estádio na classificação da ICS. CONCLUSÕES: existe fraca concordância entre as classificações de Baden e Walker e a da Sociedade Internacional de Continência para as distopias genitais.
Palavra-chave Genital prolapse
Pelvic floor
Stress urinary incontinence
Prolapso genital
Assoalho pélvico
Incontinência urinária
Idioma Português
Data de publicação 2004-07-01
Publicado em Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia, v. 26, n. 6, p. 441-447, 2004.
ISSN 0100-7203 (Sherpa/Romeo)
Publicador Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia
Extensão 441-447
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0100-72032004000600004
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0100-72032004000600004 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/2153

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0100-72032004000600004.pdf
Tamanho: 74.61KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta