Síntese e estudos biológicos conformacionais e enzimáticos de análogos da angiotensina I contendo marcador de spin toac

Síntese e estudos biológicos conformacionais e enzimáticos de análogos da angiotensina I contendo marcador de spin toac

Título alternativo Syntesis and biogical studies, conformational and enzimatic of angotensin I analogos containing spin labels toac
Autor Teixeira, Luis Gustavo de Deus Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Nakaie, Clovis Ryuichi Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Este trabalho iniciou um estudo conjugado abrangendo o enzimático com o de ressonância paramagnética eletrônica (RPE) de substratos peptídicos marcados paramagneticamente. A enzima conversora de angiotensina I (ECA, EC 3.4.15.1), uma dipeptidil carboxipeptidase cuja função principal é a de clivar o dipeptídeo C-terminal da angiotensina I (AI, DRVYIHPFHL) para produzir o octapeptídeo vasoconstritor angiotensina II (AII) foi selecionada para uma investigação de quatro análogos da AI contendo o marcador de spin TOAC (ácido 2,2,6,6-tetramethylpiperidine-1-oxyl-4-amino¬4-carboxylic) em suas posições 1, 3, 8 e 9. Inicialmente, os ensaios biológicos em íleo de cobaia e útero de rata indicaram que somente TOACI-AI manteve parcialmente a atividade da AI. Espectros de dicroísmo circular (CD) revelaram que uma maior parcela dos peptídeos possuem conformações mais estendidas que a do análogo TOAC1-AI assemelha¬-se muito ao do substrato nativo AI, concordante, portanto com os dados de atividade biológica acima mencionada. O estudo enzimático com a ECA indicou que somente o TOAC1-AI e o TOAC3-AI se mostraram susceptíveis à clivagem com esta enzima, sugerindo que a perda desta habilidade no caso dos análogos TOAC8-AI e TOAC9-AI é devido à inserção do resíduo não-natural (TOAC) nas duas posições do sítio de clivagem da seqüência do substrato. Comparativamente ao valor de 15.5 μM-1.min-1 do kcat/Km da AI, este importante parâmetro cinético que reflete o grau de eficiência catalítica da enzima, os análogos TOAC1-AI e TOAC3-AI apresentaram valores de 9.2 e 3.2 µM-1.min-l, respectivamente. Por outro lado, o estudo de fluorescência demonstrou que quanto maior a distância entre o resíduo fluorescente Tyr destes peptídeos e o do grupamento supressor TOAC, maior a intensidade da fluorescência do análogo marcado. Este efeito foi observado para todos os análogos, reforçando as conclusões advindas por estudos de CD, que indicavam estruturas, no geral, estendidas. Dados iniciais de RPE destes análogos indicaram que os seus valores de tempo de correlação rotacional (tc) estão de acordo com o tamanho molecular destes compostos, observando-se uma maior mobilidade nos derivados TOAC1-AI e TOAC9-AI (tc de cerca de 2-3 x lO-1OS) contra 7 a 8 x 1O-1Os para TOAC3-AI e TOAC8-AI. Por último e em caráter inovador, comprovou-se que a hidrólise enzimática pode também ser seguida, em alguns casos, pela RPE, através do acompanhamento da variação de um parâmetro específico desta espectroscopia. Esta aplicação inovadora foi comprovada, acompanhando-se a hidrólise do análogo TOAC3 AI pela ECA, liberando o produto TOAC3-AII.
Palavra-chave Peptídeos
Angiotensina I
Peptidil Dipeptidase A
Marcadores de Spin
Espectroscopia de Ressonância de Spin Eletrônica
Cinética
Peptides
Angiotensin I
Peptidyl-Dipeptidase A
Spin Labels
Electron Spin Resonance Spectroscopy
Kinetics
Idioma Português
Data de publicação 2007
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2007. 122 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 122 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21512

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta