Hipermetilação de promotores gênicos em adenocarcinoma gástrico de indivíduos do estado do Pará.

Hipermetilação de promotores gênicos em adenocarcinoma gástrico de indivíduos do estado do Pará.

Título alternativo Gene promoter hypermethulation in gastric adenocarcinoma in individuals from northem Brazil
Autor Leal, Mariana Ferreira Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Smith, Marilia de Arruda Cardoso Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivos: A metilação do DNA tem um papel significante no desenvolvimento e na progressão de neoplasias. Não existem trabalhos na literatura que tenham avaliado o padrão de metilação em amostras brasileiras, em especial do Estado do Pará. Este estudo tem como objetivo avaliar o padrão de metilação da região promotora de CDH1, FHIT, MTAP e PLAGL1 e associar os achados às variáveis sexo, idade, tabagismo, infecção por Helicobacter pylori, localização, estádio e histopatologia das amostras de adenocarcinomas gástricos e de tecido gástrico normal. Materiais e Métodos: Foi realizado o método de PCR metilação específica (MSP) em 13 amostras de tecido gástrico não neoplásico, 30 amostras de adenocarcinoma do tipo intestinal e 35 amostras de adenocarcinoma do tipo difuso coletadas de indivíduos do Estado do Pará. Resultados: Foi observada uma associação entre infecção por H. pylori e adenocarcinoma do tipo difuso (p=0,0142). A freqüência de hipermetilação dos promotores de CDH1, FHIT, MTAP e PLAGL1 foi de 98,72 por cento, 53,85 por cento, 23,08 por cento e 29,49 por cento respectivamente. Foi observado que as amostras de câncer gástrico do tipo difuso apresentaram a freqüência de hipermetilação de três ou quatro genes significantemente maior que as amostras controle (p=0,0396). Foi encontrada associação significante entre maior número de genes hipermetilados e infecção por H. pylori em amostras de adenocarcinoma gástrico (p=0,0428) e de adenocarcinoma do tipo difuso (p=0,0033). As amostras de câncer gástrico sem metástase em linfonodos apresentaram maior freqüência de hipermetilação de FH/T (p=0,0018). Essa associação foi observada, também, em amostras nas amostras do tipo intestinal (p=O,0104) e nas do tipo difuso (p=0,0408). As amostras de tecido gástrico com infecção por H. pylori foram significantemente associadas à hipermetilação de MT AP (p=O,0465). A associação entre H. pylori e hipermetilação de MTAP foi observada, também, nas amostras de câncer gástrico (p=0,0175). Foi verificada uma associação entre hipermetilação de MTAP e amostras do tipo difuso (p=0,0249). No tipo difuso, a hipermetilação de MTAP foi associada ao sexo feminino (p=0,0310). Conclusões: Os achados do presente estudo mostraram metilação diferencial dos genes estudados em tecido tumoral, o que permite inferir que a hipermetilação está associada à carcinogênese gástrica. A hipermetilação do promotor de MT AP pode ser caracterizada como marcador de câncer gástrico do tipo difuso, especialmente no sexo feminino, e poderá auxiliar no diagnóstico, no prognóstico e na conduta terapêutica. O agente infeccioso H. pylori, presente em 44,87 por cento das amostras, pode ser correlacionado ao processo de carcinogênese por meio de hipermetilação de promotores gênicos, especialmente de MTAP no tipo difuso. É possível que o excesso de H. pylori nas amostras do tipo difuso pode seja devido a uma maior predisposição genética nos indivíduos afetados.
Palavra-chave Neoplasias gástricas
Metilação de DNA
Ilhas de CpG
Idioma Português
Data de publicação 2007
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2007. 154 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 154 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21500

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta