Reabilitação não supervisionada: efeitos sobre as condições cardiovasculares, qualidade de vida, adesão e custos em pacientes com doença coronária aterosclerótica

Reabilitação não supervisionada: efeitos sobre as condições cardiovasculares, qualidade de vida, adesão e custos em pacientes com doença coronária aterosclerótica

Autor Salvetti, Xiomara Miranda Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Oliveira Filho, Japy Angelini Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Fundamentos: Grande número de pacientes elegíveis para a reabilitação cardíaca, não são atendidos por dificuldades de ordem prática. A reabilitação não supervisionada seria uma alternativa válida. Objetivos: Este estudo avaliou os efeitos da reabilitação não supervisionada sobre as condições cardiovasculares, qualidade de vida, adesão e custos em pacientes com doença coronária aterosclerótica. Métodos: Os pacientes foram alocados aleatoriamente em dois grupos: 1) Grupo de reabilitação não supervisionada, constituído por 19 pacientes; 14 do sexo masculino e cinco do sexo feminino, com média de idade de 53 ::!: 8 anos; 2) Grupo Controle, constituído de 20 pacientes: 15 do sexo masculino e cinco do sexo feminino, com de média idade de 54 ::!: 9 anos, pacientes recebendo apenas orientações ambulatoriais. Os pacientes foram submetidos a teste cardiopulmonar e à avaliação da qualidade de vida pelo "The Medical Outcomes Study 36-Item Short-Form Health Survey" (SF-36), no momento de inclusão e após três meses. A avaliação de custos foi baseada na Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos e na Tabela do Sistema de Informações Ambulatoriais do Sistema Único de Saúde. A adesão foi controlada pelos registros da Caderneta de Orientação e Controle da Atividade Física. A análise estatística empregou ANOVA com medidas repetidas complementado pelo teste de Bonferroni. Empregaram-se o teste "t" de Student para amostras não relacionadas, para comparar os grupos quanto às variáveis numéricas analisadas uma única vez e o teste exato de Fisher para comparar os grupos quanto às variáveis qualitativas analisadas. Resultados: Ambos os grupos apresentaram no momento de inclusão características clínicas semelhantes. Após treinamento, os pacientes pertencentes ao grupo de reabilitação não supervisionada apresentaram aumentos significantes da potência aeróbia, trabalho total, tempo de exercício, freqüência cardíaca de pico, por cento FC/FC máxima predita e queda da pressão arterial sistólica de repouso (p < 0,05). Pacientes do grupo controle apresentaram quedas discretas no pico do consumo de oxigênio, pulso de oxigênio de pico e tempo de exercício (p < 0,05). O grupo de reabilitação não supervisionada apresentou elevação em todos os domínios da qualidade de vida. No grupo controle, observou-se aumentos estatisticamente significantes nos domínios aspecto emocional, saúde mental e aspecto social (p < 0,05). Não houve desistência entre os pacientes do grupo RNS ao longo do programa; os pacientes tiveram uma média de 2,8 ± 0,4 sessões por semana. O custo do programa de reabilitação não supervisionada de três meses foi de US$ 502,81 (CBHPM) por paciente. A reabilitação não supervisionada foi um procedimento de baixo custo e contou com alta adesão dos pacientes. Conclusão: Nosso protocolo permitiu uma opção de reabilitação cardíaca eficiente e de baixo custo para pacientes com doença coronária aterosclerótica.
Palavra-chave Doença da artéria coronariana/reabilitação
Qualidade de vida
Honorários e preços
Aceitação pelo paciente de cuidados de saúde
Idioma Português
Data de publicação 2006
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2006. 120 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 120 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21480

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta