Efeito da escopolamina sobre a recordação livre de palavras

Efeito da escopolamina sobre a recordação livre de palavras

Título alternativo Scopolamine effect on free recall of words
Autor Ribeiro de Noronha, Samuel Marcos Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Silva, Ismael Dale Cotrim Guerreiro da Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O uso da recordação livre associado ao bloqueio da transmissão colinérgica tomou-se prática bastante utilizada na análise do funcionamento da memória e de suas subdivisões. Assim sendo, testamos 36 indivíduos jovens, saudáveis na tarefa de recordar listas de 15 palavras, de forma imediata e tardia, combinada com a administração subcutânea de escopolamina, para produzir bloqueio transitório da neurotransmissão colinérgica. Os sujeitos foram alojados em três grupos: placebo (n = 12), Esc 0,3 mg (n = 12) e Esc 0,6 mg (n = 12), condição a partir da qual, eles foram testados em listas contendo ou não três palavras semanticamente relacionadas nas posições seriais centrais (palavras 7, 8 e 9). Sabe-se que a inserção desse tipo de palavra no meio de listas onde as demais integrantes não mantêm vínculo semântico explícito, produz uma taxa de recordação elevada das mesmas, produzindo o efeito de facilitação semântica, que na curva de posição serial provoca um pico, conferindo-lhe uma forma de “W” que a distingue da curva produzida por listas compostas apenas por palavras não-relacionadas, em forma de “J”, ou seja, com picos de recordação nas extremidades (efeitos de primazia e recência) entremeados por uma linha plana rebaixada. Enquanto os efeitos fisiológicos subjacentes a esta manifestação cognitiva são pouco conhecidos, sabe-se que ela é movida grandemente por processos automáticos, uma vez que até mesmo indivíduos portadores de comprometimento da memória episódica, são capazes de se beneficiar do efeito de facilitação semântica, mas há, sem dúvida, também a participação de processos controlados na execução do agrupamento de itens semanticamente relacionados. Nesse estudo, a dose de 0,6 mg de escopolamina, administrada por via subcutânea, se mostrou ineficiente para abolir o efeito de facilitação semântica produzido por três palavras, mas confirmou sua capacidade de prejudicar a taxa de recordação em outras posições seriais. Assim sendo, é provável que o prejuízo mnêmico induzido pela droga não altera a recordação de palavras relacionadas semanticamente, uma vez que elas requerem um menor esforço de recuperação e por isso não são prejudicadas pela limitação na capacidade de processamento produzida pelo bloqueio colinérgico, durante o processo de codificação de palavras.
Palavra-chave Memória
Hidrobrometo de escopolamina
Idioma Português
Data de publicação 2006
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2006. 72 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 72 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21479

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta