Short Form-36, Stanford Health Questionnaire e teste de esforço em mulheres obesas

Short Form-36, Stanford Health Questionnaire e teste de esforço em mulheres obesas

Título alternativo Short Form-36, Health Assessment Questionnaire and exercise test in obese womens
Autor Orsi, Juliana Vianna de Andrade Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Nahas, Fabio Xerfan Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Cirurgia Translacional – São Paulo
Resumo Introdução: A obesidade atualmente é um dos maiores problemas de saúde pública mundial, e apesar de promover o aumento da morbi- mortalidade, ainda não existe um tratamento efetivo e uma prevenção adequada. Existe um crescente interesse na literatura em pesquisar a associação entre obesidade, qualidade de vida e capacidade funcional utilizando instrumentos genéricos e específicos para avaliação da qualidade de vida. Também é possível mensurar a capacidade funcional por meio do teste de esforço, calculando o consumo máximo de O2 (V02 máx). Objetivo: Avaliar a qualidade de vida e a capacidade funcional em mulheres obesas. Métodos: Estudo transversal analítico envolvendo 120 mulheres adultas alocadas em três grupos: 40 eutróficas, 40 com sobrepeso e 40 obesas. As pacientes foram entrevistadas usando dois instrumentos de avaliação de qualidade de vida, um genérico, o Short-Form-36 (SF-36), e um específico para capacidade funcional, o Stanford Health Assessment Questionnaire (HAQ-20). Também para avaliar a capacidade funcional, as pacientes foram submetidas a teste de esforço para avaliação do consumo máximo de oxigênio (V02 máximo). Na análise estatística foram usados o teste do qui-quadrado e a análise de variância de Kruskal Wallis, para p≤ 0,05. Resultados: As mulheres obesas apresentaram valores significantemente menores dos seguintes domínios do SF-36: Capacidade Funcional, Dor, Estado geral de Saúde, Vitalidade e Aspecto Emocional (p < 0,05). Houve diferença significante dos escores do HAQ-20 entre as mulheres eutróficas e obesas com idade entre 45 e 60 anos (p < 0,05). As mulheres obesas também apresentaram valores de V02 máximo significantemente menores que os outros grupos (p < 0,001). Não houve diferença significante entre o grupo de mulheres eutróficas e com sobrepeso, e nem entre as faixas etárias de 40 e 44 anos e 45 e 60 anos. Conclusão: A obesidade apresenta impacto negativo na capacidade funcional e na qualidade de vida das mulheres.
Palavra-chave Qualidade de Vida
Obesidade
Teste de Esforço
Índice de Massa Corporal
Idioma Português
Data de publicação 2006
Publicado em ORSI, Juliana Vianna de Andrade. Short Form-36, Health Assessment Questionnaire e Teste de esforço em mulheres obesas. 2006. 123 f. Dissertação (Mestrado) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2006.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 106 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21449

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Tese-10076.pdf
Tamanho: 1.002MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta