O teste oral de tolerância à glicose é frequentemente alterado em pacientes com epilepsia de difícil controle

O teste oral de tolerância à glicose é frequentemente alterado em pacientes com epilepsia de difícil controle

Título alternativo The oral glucose tolerance test is frequently abnormal in patients with uncontrolled epilepsy
Autor Vianna, Joao Batista Macedo Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Atallah, Álvaro Nagib Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo
Pós-graduação Saúde baseada em evidências - São Paulo
Resumo Objetivo: A eficácia clínica da dieta cetogênica, como medida terapêutica para os pacientes com epilepsia de difícil tratamento, levou-nos a investigar o metabolismo da glicose de pacientes submetidos à sobrecarga oral de glicose, o teste oral de tolerância à glicose (TOTG). Material e Método: Trinta pacientes (12 homens e 18 mulheres, com idade de 17 a 59 anos, média 35,1 anos), com epilepsia de difícil tratamento e 23 pacientes com epilepsia controlada (11 homens e 12 mulheres, com idade de 14 a 66 anos, media 36,9 anos) e trinta e nove pacientes (8 homens e 21 mulheres, com idade de 16 a 58 anos, média 33,3 anos) compreendendo o grupo controle, foram avaliados com o TOTG. Para os pacientes com epilepsia nós também medimos o peptídeo - C e a hemoglobina glicosilada em estado de jejum. Os níveis de glicose abaixo de 70 mg/dl em qualquer ponto da curva foram considerados anormais. Resultados: Todos os pacientes do grupo controle e do grupo de pacientes com epilepsia controlada apresentaram um TOTG normal. Por outro lado, cada um dos trinta pacientes do grupo com epilepsia de difícil tratamento teve no mínimo 1 ponto da curva de TOTG abaixo da faixa normal (P<0.001), mais freqüentemente aos 180 e 240 minutos após a carga de glicose oral (P<0.001). Os níveis de peptídeo - C e insulina sérica em jejum foram significantemente mais baixas no grupo de pacientes com epilepsia de difícil tratamento, quando comparados ao grupo de pacientes com epilepsia controlada. Os níveis da hemoglobina glicosilada em jejum não diferiu entre ambos os grupos de pacientes com epilepsia. Conclusões: Sugerimos que o distúrbio metabólico, não diagnosticado nos pacientes com epilepsia de difícil tratamento, poderia, de algum modo, contribuir para a refratariedade à terapia farmacológica convencional.

Purpose: The clinical efficacy of the ketogenic diet as a therapeutic means for patients with difficult-to-treat epilepsy prompted us to investigate the glucose metabolism of those patients under oral overload of glucose, the Oral Glucose Tolerance Test (OGTT). Material and Method: Thirty patients (12 males and 18 females, ages ranging from 17 to 59 years, mean 35.1 years), with difficult-to-treatepilepsy, and 23 patients with controlled epilepsy (11 males and 12 females, ages ranging from 14 to 66 years (mean 36.9 years) and 39 subjects (18 males and 21 females, ages ranging from 16 to 58 years, mean 33.3 years) comprising the control group, were evaluated with the OGTT. For patients with epilepsy we also measured C-peptide and glycosilated hemoglobin in the fasting state. Glucose levels lower than 70 mg/dL at any point of the curve were considered to be abnormal. Results: All of the subjects in the control group and in the group of patients with controlled epilepsy had a normal OGTT. In contrast, every one of the thirty patients of the group with difficult-to-treat-epilepsy had at least one point of the OGTT curve below the normal range (P<0.001), most often at 180 and 240 minutes after the oral glucose load (P<0.001). C-peptide levels were significantly lower in the group of patients with difficult-treat-epilepsy as compared to the group of patients with controlled epilepsy. Fasting glycohemoglobin and insulin levels did not differ between both groups of patients with epilepsy. Conclusions: We suggest that undiagnosed metabolic disturbances in patients with difficult-to-treat epilepsy might somehow contribute to their refractoriness to conventional pharmacological therapy.
Palavra-chave Epilepsia
Glucose/metabolismo
Dieta
Idioma Português
Financiador Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Data de publicação 2006
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2006. 57 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 57 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21392

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-21392.pdf
Tamanho: 1.090MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta