Teste de respiração lenta no diagnóstico da hipertensão do avental branco

Teste de respiração lenta no diagnóstico da hipertensão do avental branco

Título alternativo Slow breath test in the diagnosis of white coat hypertension
Autor Thalenberg, José Marcos Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Luna Filho, Bráulio Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo
Pós-graduação Saúde baseada em evidências - São Paulo
Resumo Objetivo: verificar se um teste de respiração lenta pode contribuir na identificação da hipertensão do avental branco. Desenho e Métodos: Neste estudo transversal de acurácia, foram avaliados 101 pacientes hipertensos, encaminhados ao Setor de Cardiopatia Hipertensiva da UNIFESP e sem lesão de órgãos-alvo ou comorbidades importantes. Após consulta de triagem, drogas anti-hipertensivas foram suspensas por duas a três semanas. Na seqüência, a pressão arterial foi medida imediatamente antes e após o teste em duas consultas distintas. O teste consiste em respirar durante um minuto na freqüência de 0.1Hz, um ciclo respiratório a cada 10 segundos. Foram comparados dois critérios de positividade: 1) queda da pressão diastólica ≥ 10% em pelo menos uma das consultas, ou 2) queda da pressão arterial para níveis de normalidade (<140/90mmHg) em pelo menos uma das consultas. Monitorização ambulatorial da pressão arterial foi realizada na seqüência e interpretada de maneira cega em relação às medidas de consultório. A hipertensão do avental branco foi definida como medidas de consultório ≥140/90mmHg e média ambulatorial de vigília <135/85mmHg. Resultados: A amostra consistiu de 71 mulheres e 30 homens com idade média de 51±10 anos. As médias pressóricas pré e pós-teste foram de 152 ± 17 / 96 ± 11 e 140 ± 18 / 92 ± 11mmHg. Nove pacientes tiveram medidas de consultório e ambulatoriais normais mesmo após a retirada dos medicamentos. De 92 pacientes, 28 (30%) foram classificados como hipertensão do avental branco. Destes, 15 testaram positivo para o Critério 1 e 21 para o Critério 2. Dentre os 64 (70%) pacientes hipertensos, 14 testaram positivo para o Critério 1 e 21 para o Critério 2. A sensibilidade e a especificidade (IC 95%) do TRL foi de 0.54 (0.36-0.71) e 0.78 (0.67-0.87) para o Critério 1 e 0.75 (0.57-0.87) e 0.81 (0.70-0.89) para o Critério 2, com razão de probabilidades positiva de 2.5 (1.4-4.4) para o Critério 1 e 4.0 (2.3–7.0) para o Critério 2, respectivamente. Conclusão: O teste de respiração lenta apresentou boa acurácia em duas visitas pelo critério de normalização da pressão arterial. Este achado sugere que este teste simples pode aumentar significantemente a suspeita da hipertensão do avental branco.

Objective: To determine whether the slow breath test may contribute on identifying white-coat hypertension. Design and Methods: On this cross-sectional accuracy study, 101 hypertensive outpatients without target organ damage from Unifesp Hypertension Clinic, Sao Paulo, Brazil, had drugs withdrawn for 2-3 weeks. Blood pressure was measured before and after the slow breath test on two visits. The test consists of slow breathing for 1 minute at a frequency of 0.1Hz (one breathing cycle each 10 sec). Positive responses: 1-diastolic pressure fall ≥10% on at least one visit or 2- blood pressure drop to pre-hypertensive levels (<140/90mmHg) on at least one visit. Ambulatory blood pressure monitoring was performed in a blind fashion. White-coat hypertension was defined as office measurements ≥140/90 mm Hg and ambulatory average daytime <135/85mmHg. Results: There were 71 women and 30 men, mean age 51±10 years. Mean pre and post-test BP: 152±17 /96±11 and 140±18 /92±11mmHg. Nine patients had normal office and ambulatory readings without drugs. Of 92 patients, 28 (30%) were classified as white-coat hypertension: 15 tested positive for Criterion 1 and 21 for Criterion 2. Among 64 (70%) hypertensive patients, 14 tested positive for Criterion 1 and 12 for Criterion 2. The sensitivity and specificity (95% CI) of SBT was 0.54 (0.36-0.71) and 0.78 (0.67-0.87) for Criterion 1 and 0.75 (0.57-0.87) and 0.81 (0.70-0.89) for Criterion 2, with a positive likelihood ratio of 2.5 (1.4-4.4) for Criterion 1 and 4.0 (2.3-7.0) for Criterion 2, respectively. Conclusion: The slow breath test showed good accuracy on two visits when using the pre-hypertensive level criterion. This finding suggests that this simple test can significantly increase the suspicion of white-coat-hypertension.
Palavra-chave Pressão arterial
Hipertensão/diagnóstico
Testes respiratórios
Monitorização ambulatorial da pressão arterial
Idioma Português
Financiador Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Número do financiamento 02/03124-8
Data de publicação 2006
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2006. 54 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 54 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21390

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-21390.pdf
Tamanho: 380.7KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta