Splicing alternativo e polimorfismo gênico de moléculas do sistema imune

Splicing alternativo e polimorfismo gênico de moléculas do sistema imune

Título alternativo Alternative splicing and polymorphisms of immune system molecules
Autor Smirnova, Anna Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Gerbase-Lima, Maria Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Muitos genes do genoma humano apresentam variações na sequência de DNA (polimorfismos) e também variações no splicing de mRNA (variantes de splicing, VS). A expressão de VS pode ser regulada dependendo do tipo e do estado de ativação celular, e também ser influenciada por polimorfismos. Os objetivos desta tese foram: (1) realizar busca de VS de 10 genes imunorregulatórios (TC/RG1, L TA, L TB, OX40, OX40L, BAFF, APR/L, BAFF-R, BCMA, e TACI) em células mononucleares do sangue periférico ativadas e não ativadas; (2) caracterizar polimorfismos de genes que se mostrassem interessantes em relação a VS; (3) estudar a expressão das VS dos genes selecionados em relação aos polimorfismos deste gene, ativação e tipo de linfócitos. Métodos: Novas VS foram identificadas por busca no banco de dados de ESTs e screening por RT-PCR (reverse-transcriptase polymerase chain reaction). A sua expressão foi quantificada por RT-PCR semi-quantitativo ou em tempo real. Os polimorfismos foram caracterizados utilizando enzimas de restrição e sequenciamento. Resultados: (1) identificamos sete novas VS do gene L TA, duas de BAFF e quatro de BCMA em células mononucleares de sangue periférico; todas elas podem codificar isoformas diferentes de proteína, a maioria truncadas; (2) verificamos que a expressão das VS do L TA é regulada diferencialmente em linfócitos ativados; (3) observamos que as VS do BAFF se expressam em baixos níveis em todos os tipos de células estudados e, as do BCMA, somente em células CD19+; (4) elaboramos uma nova estratégia para definição de haplótipos e provamos sua eficiência em relação aos haplótipos do gene L TA, em 102 indivíduos; (5) observamos expressão diferente de alelos do L TA em células de indivíduos heterozigotos, sem haver diferença na expressão entre indivíduos homozigotos. Conclusões: Apesar de haver dados abundantes no banco de ESTs, a busca experimental de novas VS é necessária. No exemplo do L TA, sugerimos que mesmo VS com ORF truncado e de baixa expressão podem ter importância funcional, pois são reguladas diferencialmente durante ativação de linfócitos. A nova estratégia de detecção de haplótipos, proposta neste estudo, é rápida e eficiente e pode ser aplicada para vários genes, principalmente para os quais em que a detecção, por RFLP, de pelo menos um polimorfismo já tenha sido padronizada. O estudo de expressão do LTA em relação aos polimorfismos indica a existência de um mecanismo de regulação de expressão dos alelos que atua somente quando os dois alelos estão presentes no mesmo indivíduo.
Palavra-chave Processamento Alternativo
Polimorfismo Genético
Haplotipos
Linfotoxina-alfa
Alternative Splicing
Polymorphism, Genetic
Haplotypes
Lymphotoxin-alpha
Idioma Português
Data de publicação 2006
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2006. 140 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 140 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21354

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta