Influência do deslocamento do tecido subcutâneo na resistência a tração da parede abdominal apos a dissecção dos músculos abdomianis em cadáveres

Influência do deslocamento do tecido subcutâneo na resistência a tração da parede abdominal apos a dissecção dos músculos abdomianis em cadáveres

Título alternativo The influence of the subcutaneos tissue undermining in the tensile strengh of the abdominal wall after disseccion of the abdominal muscles in cadavers
Autor Kimura, Alexandro Kenji Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Nahas, Fabio Xerfan Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Cirurgia translacional - São Paulo
Resumo Introdução: A dissecção dos músculos abdominais reduz a tensão no fechamento de defeitos ventrais do abdome. Amplos descolamentos do tecido subcutâneo associados à estas dissecções são responsáveis por desvascularização, denervação e formação de espaço morto. Realizar descolamentos mais econômicos do tecido subcutâneo sem prejudicar a tensão é uma tática operatória desejada para reduzir complicações. Objetivo: Avaliar a influência do descolamento do tecido subcutâneo na resistência à tração da parede abdominal após a dissecção dos músculos abdominais em cadáveres. Métodos: Foram estudados 20 cadáveres. A resistência à tração medial, das lâminas anterior e posterior do músculo reto, foi medida em dois níveis - 3 cm acima e 2 cm abaixo do umbigo e, relacionada em um coeficiente de tração. Os coeficientes de tração foram obtidos em três fases seqüenciais de dissecção: 1) descolamento do tecido subcutâneo até a linha semilunar; 2) dissecção do músculo oblíquo externo e da lâmina posterior do músculo reto do abdome; 3) descolamento do tecido subcutâneo até a linha axilar anterior. A análise de variância de Friedman foi utilizada nas comparações dos coeficientes regionias de tração nas três fases de dissecção. O teste de Wilcoxon foi utilizado para comparação, em uma mesma fase, entre os coeficientes da região supra e infraumbilical e, entre os da lâmina anterior e posterior. O teste de Spearman foi utilizado na correlação entre os coeficientes regionais de tração, o IMC e as espessuras do tecido subcutâneo. Resultados: Após as dissecções músculoaponeuróticas não houve diferença estatisticamente significante quando o descolamento reduzido do tecido subcutâneo (fase 2) foi comparado ao xvi descolamento ampliado (fase 3). Os coeficientes dos níveis supra-umbilicais foram maiores que os infra-umbilicais, exceto para a lâmina anterior na fase 1. Os coeficientes da lâmina anterior foram maiores que os da posterior. Não houve correlação destes coeficientes com os valores de IMC e espessura do tecido subcutâneo. Conclusão: O descolamento do tecido subcutâneo além da linha semilunar não influi na resistência à tração da parede abdominal após a dissecção dos músculos abdominais em cadáveres.

Introduction: The dissection of the abdominal muscle decreases tension of the edges of the abdominal wall defect, allowing a tensionless closure. Large subcutaneous tissue underminig associated with these dissections are correlated with damage to vascularization, innervation and dead space. The techniques to corret abdominal wall defects should aim to reduce complications by performing economical subcutaneous tissue undermining, mantaining the reduction of tension.Objective: The purpouse of this study is to evaluate the influence of the undermining of the subcutaneous tissue in the tensile strength of the abdominal wall, after abdominal muscle dissection in cadavers.Methods: Twenty adult cadavers were studied. The resistance of the medial advancement of both anterior and posterior rectus sheaths were related to the traction index and measured in two levels - 3cm above and 2 cm bellow the umbilicus. Traction index were compared during three situations: (1) after de subcutaneous tissue undermining laterally to the semilunar line; (2) after the dissection of the rectus muscle from its posterior sheat associated with the release of the external oblique muscle; (3) after de subcutaneous tissue undermining laterally to the anterior axilar line. Friedman test was used to compare the mean traction index of each site in the three different stages of dissection. Wilcoxon test was used for comparison of the traction index of both supraumbilical and infraumbilical sites. It was also used to compare the traction indices of the anterior and posterior sheaths after each stage of dissections. Spearman test was used for the correlation between the traction index, body mass index (BMI), and the width of the subcutaneous tissue. Results: There was not a significant statistic difference 74 between the subcutaneous tissue undermining laterally to the semilunar line and that laterally the anterior axilar line, when associated with the musculoaponeurotic dissections. Comparison between supra-umbilical levels and infra-umbilical levels showed significant difference in all points, except in the anterior sheath in the first situation . Values of the traction index of the anterior rectus sheath showed statistically significant greater values than the posterior ones. There was not a correlation between the BMI and subcutaneous tissue width with the traction index. Conclusion: Subcutaneous tissue underminig beyond the semilunar line does not influence the tensile strength of the abdominal wall after the abdominal muscle dissection in cadavers.
Palavra-chave Tela Subcutânea
Resistência à Tração
Parede Abdominal
Músculos Abdominais
Cadáver
Idioma Português
Financiador Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Data de publicação 2005
Publicado em KIMURA, Alexandro Kenji. Influência do deslocamento do tecido subcutâneo na resistência a tração da parede abdominal apos a dissecção dos músculos abdomianis em cadáveres. 2005. 113 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2005.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 113 f.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21083

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-21083.pdf
Tamanho: 1.247MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta