A superexpressão da enzima heparanase em células de adenocarcinoma mamário humano(MCF-7) afeta a expressão de glicosaminoglicanos, a proliferação e a adesão celular

A superexpressão da enzima heparanase em células de adenocarcinoma mamário humano(MCF-7) afeta a expressão de glicosaminoglicanos, a proliferação e a adesão celular

Título alternativo It is know that heparanase can be overexpressed in tumours and in some inflammatory process
Autor Semedo, Patricia Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Pinhal, Maria Aparecida da Silva Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A integridade da matriz extracelular (MEC) é fundamental para a manutenção dos tecidos e dos órgãos. Proteoglicanos de heparam sulfato (HSPG) desempenham papel estrutural para as células, sendo constituinte da membrana basal e estando presentes na membrana plasmática atuando em diversos processos fisiológicos. A superexpressão da heparanase, uma endo-b-glucoronidase que degrada o HSPG, altera a organização da MEC e leva à formação de fragmentos bíoativos que atuam como fatores angiogênicos e de crescimento. Em tumores e processos inflamatórios, há a superexpressão da heparanase. Buscando avaliar o que acontece em nível celular, a heparanase humana de células MCF-7 foi obtida, clonada e transfectada na própria célula MCF-7 para avaliarmos os efeitos da superexpresão da heparanase em relação a morfologia, adesão, proliferação celular e síntese de glicosaminoglicanos sulfatados. Os dados da biossíntese de glicosaminoglicanos pelas células transfectadas com o cDNA da heparanase quando comparadas com as células MCF-7 selvagem mostraram redução significativa no conteúdo de HS tanto no extrato celular quanto do secretado para o meio de cultura. Em ensaios de adesão celular, observou-se que a célula que superexpressa heparanase possui maior adesão à fibronectina e à laminina. Notamos também que a célula que superexpressa a heparanase diminui a proliferação celular quando comparada à célula selvagem. Ainda, a enzima heparanase está presente em vesículas ácidas nas células transfectadas de forma estável.
Palavra-chave Glicosaminoglicanas
Adenocarcinoma
Mama
Matriz extracelular
Glycosaminoglycans
Adenocarcinoma
Breast
Extracellular matrix
Idioma Português
Data de publicação 2005
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2005. 137 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 137 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21063

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta