Avaliação da praticabilidade do fechamento de colostomias em alça sob anestesia local associada a sedação

Avaliação da praticabilidade do fechamento de colostomias em alça sob anestesia local associada a sedação

Título alternativo Feasibility analysis of loop colostomy closure under local anesthesia and sedation
Autor Abreu, Rone Antonio Alves de Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Matos, Delcio Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Verificar a praticabilidade do fechamento de colostomias em alça em doentes sob anestesia local associada a sedação, de modo seguro e com aceitabilidade. Métodos: F oram incluídos 21 doentes com colostomia em alça, submetidos a reconstrução de trânsito digestivo sob anestesia local e sedação pelo Grupo de Cirurgia do Aparelho Digestivo do Conjunto Hospitalar do Mandaqui, São Paulo SP, de maio de 1994 a abril de 2005. Quanto a etnia 57,1 por cento eram brancos, 23,8 por cento pardos e 19,1 por cento negros; 95,2 por cento pertenciam ao sexo masculino. A média de idade correspondeu a 32 anos (de 19 a 56 anos). O índice de massa corporal apresentou média de 24 kg/m2 (de 20 a 29 kg/m2). Constituíram indicações das colostomias: 33,3 por cento dos doentes apresentavam ferimentos por projétil de arma de fogo; 33,3 por cento por armas brancas; 23,8 por cento empalamento; 4,8 por cento neoplasia e 4,8 por cento Síndrome de Foumier. O cólon sigmóide foi exteriorizado em 76,2 por cento e o cólon transverso em 23,8 por cento dos casos. O tempo entre a confecção da colostomia e seu fechamento teve média de 06 meses (de 03 a 25 meses); 85,7 por cento dos doentes apresentava classificação ASA I e 14,3 por cento ASA II. Todas as operações foram acompanhadas por anestesiologista, realizadas com técnica operatória habitual. A sedação foi efetuada com midazolan e meperidina. A anestesia local foi efetuada com lidocaína a 2 por cento na dose máxima de 7mg/kg e bupivacaína 0,5 por cento na dose máxima de 2,5mg/kg, em 40ml de água destilada. Avaliou-se a eficácia da anestesia local no período intra operatório, no 1º pós-operatório e na alta hospitalar. Utilizou-se escala visual analógica considerando-se como resultados: sem dor (O e 1); dor mínima (2 e 3); dor moderada (4,5,6 e 7) e dor intensa (8,9 elO). Resultados: Todos os doentes foram operados com anestesia local, sem necessidade de mudança de técnica anestésica. A quantidade de lidocaína infiltrada variou de 300 a 600mg e a de bupivacaína oscilou entre 50 e 100mg. O tempo médio operatório correspondeu a 2h 13m (lh 25m - 4h 50m). Em dois doentes...(au).
Palavra-chave Colostomia
Anestesia local
Estudos de viabilidade
Dor pós-operatória
Idioma Português
Data de publicação 2005
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2005. 88 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 88 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20996

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta