Estudo do polimorfismo IIe 452 Val do gene CYP1A1 em pacientes com câncer colorretal

Estudo do polimorfismo IIe 452 Val do gene CYP1A1 em pacientes com câncer colorretal

Título alternativo IIe 462 Val polymorphism study to CYP1A1 gene colorrectal cancer
Autor Serafim, Patricia Valeria Pereira Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Forones, Nora Manoukian Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Gastroenterologia - São Paulo
Resumo Introdução: A enzima Citocromo P450 é integrante de uma superfamília de proteínas organizadas em famílias, subfamílias e genes individuais com base na porcentagem de identidade entre as seqüências de aminoácidos. Essas enzimas desempenham o importante papel de metabolisar e detoxificar diversos compostos. A família do gene CYP1 é induzida pelo receptor aril hidrocarboneto hidroxilase (AHH) que acarretará na ativação dos hidrocarbonetos policíclico aromático (PAHs), presente em vários compostos resultando em um aumento da atividade da enzima. Foram descritos na literatura dois polimorfismos associados ao gene CYP1A1, transição T→C na região 3’ não codificadora, e uma outra transição de A → G (Ile462 Val, exon 7). Cada uma das alterações dão origem a sítios de restrição MspI . Somente o polimorfismo T→C recebe o nome da enzima MspI. Entretanto, apenas o polimorfismo. A→G demonstra ter associação com o aumento da inducibilidade do gene CYP1A1demonstrando um maior significância e de interesse para esse estudo. Objetivo: investigar a incidência do polimorfimo A → G (Ile462 Val, exon 7) e sua associação com câncer colorretal, correlacionando com alguns fatores de risco da doença . Casuística e Método: Foram selecionados 114 pacientes portadores de câncer colorretal e 114 indivíduos sem câncer que constituíram o grupo controle. Todos foram submetidos à entrevista e a coleta de sangue periférico para extração do DNA genômico. Investigamos a presença do polimorfismo do gene CYP1A1 utilizando técnica de reação em cadeia de polimerase (PCR) e reação de genotipagem por técnica de RFLP. As amostras foram analisadas por meio de corrida eletroforética em gel de agarose e gel Low melting para a identificação da presença do polimorfismo . Resultados: No grupo caso, 64 eram do sexo masculino, 96 eram da etnia branca, 10 negros e 8 amarelos, 53 eram etilistas , 68 tabagistas, 59 tinham historia de câncer . Em relação ao polimorfismo estudado 14 eram homozigotos selvagem A/A, 97 heterozigoto A/G e 3 homozigotos mutados : No grupo controle, 61 eram do sexo XV XV masculino, 99 eram da etnia branca e 15 eram negros , 67 eram etilistas , 53 tabagistas, 40 tinham história de câncer . Em relação ao polimorfismo estudado 81 eram homozigotos selvagem A/A, 33 heterozigoto A/G. O tabagismo, historia familiar de câncer e a presença do alelo G foram mais freqüentes entre os indivíduos com câncer. Não observamos correlação entre a evolução da doença e freqüência dos alelos. Os pacientes de etnia amarela e estádio III tiveram maior índice de recorrência da doença. Conclusão: Para estudar a associação conjunta dos fatores estudados com a presença ou ausência da doença, verificou-se que a característica mais ligada à doença foi a presença do alelo G. Observou-se um aumento da proporção do alelo A/G e G/G em três vezes, no grupo de pacientes com câncer colorretal em relação ao grupo controle. Sugerindo que a enzima CYP1A1 possa ser um marcador de risco para a doença. O uso do tabaco e história familiar positiva foram mais freqüentes entre os doentes com câncer. Não foi encontrada correlação entre o polimorfismo e sexo, grau de diferenciação, estádio ou evolução da doença.

Introduction The enzyme Citocromo P450 is an integrant of a super family of proteins organized in families, subfamilies and individual genes based on the percentual of the identity of the amino acid sequences. These enzymes play an important role in the metabolization and detoxification of various compounds. The aril hydro-carbon hidroxilase (AHH) receptor induce the family of the gene CYP1 responsible for the activation of polycyclic aromatic hydrocarbons (PAHs), that are present in high concentration in cigarette smoke, polluted air and foods. Two polymorphisms of the gene CYP1A1 has been described, one on the transition T→C in the 3' noncoding region, and the other one in the A→ G transition (Ile462 Val, exon 7). Both the polymorphisms generate fragments that are digestion sites of MspI, but only the T→C polymorphism receives the name of MspI enzyme. Due to its high inducibility of the CYP1A1 gene polymorphism A→G had a bigger interest. AIM: to investigate the incidence of the polymorphism A→ G (Ile462 Val, éxon 7) in colorectal cancer patients and the correlation of this polymorphism and others risk factors. Patients and Method: 114 patients with colorectal cancer and 114 without cancer matched by age with the case group were included in the control group. All of the patients had been submitted to an interview and peripheral blood was drawn for DNA extraction. The presence of the polymorphism in the CYP1A1 gene was determined by a specific polymerase chain reaction (PCR) and RFLP technique. The samples had been analyzed agarosis electrophoresis gel and gel Low melting for the identification of the presence of the polymorphism. Results: In the case group 64 were male, being 96 white, 10 blacks and 8 yellows, 53 were etilists, 68 smokers, and 59 had family history of cancer. In the relation of the polymorphism studied 14 were wild homozygous A/A, 97 heterozygous A/G and 3 homozygous mutated G/G. In the control group 61 were male, 99 were white race and 15 black, 67 were etilists, 53 smokers, 40 had history of cancer, and 81 were wild homozygous A/A and 33 heterozygous A/G. The percentual of smokers, the familiar XVII XVII history of cancer and the presence of the allele G had been more frequent in the cancer group. The asiatics and stage III patients had higher index of recurrence of the disease. Conclusion: The presence of the G had been the most important aspect observed when the characteristics studied were correlated to the presence of cancer. The colorectal cancer group had a higher proportion of A/G or G/G alleles in 3 times. These results suggest that the CYP1A1 Val allele may be a marker of risk for the disease. The tabagism and positive history of cancer were also more frequent in the patients with cancer. There were not found any correlation among this polymorphism and sex, grade of differentiation, stage or evolution of the disease.
Palavra-chave Genes
Neoplasias Colorretais
Polimorfismo Genético
Idioma Português
Data de publicação 2005
Publicado em SERAFIM, Patricia Valeria Pereira. Estudo do polimorfismo IIe 452 Val do gene CYP1A1 em pacientes com câncer colorretal 2005. 74 p. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2005.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 74 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20973

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-20973.pdf
Tamanho: 534.2KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta